Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021

Secretário é acusado de cobrar propina para liberar caminhões

10 janeiro 2013 - 13h50
Correio do Estado


O supersecretário Gustavo Freire que responde pelas pastas Receita e Relações Institucionais é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter participado de esquema de cobrança de propina para liberar cargas de uma refinaria de petróleo sem o pagamento de tributos ou marcação de mercadoria enquanto exercia o cargo de auditor da Receita em Corumbá entre os anos de 2007 e 2008.

A ação do MPF ajuizada em dezembro do ano passado aponta que Gustavo e outros dois auditores, um empresário e dois despachantes aduaneiros de participarem do esquema, que teria dado prejuízo à União de R$ 1,165 milhão.

Segundo matéria publicada pelo site Capital do Pantanal no mês passado, a fraude foi descoberta na inspetoria de Corumbá, fronteira do Brasil com a Bolívia. Segundo as investigações, os servidores da Receita Federal recebiam R$ 200 por caminhão liberado sem incidência de tributação.

O processo é desdobramento da Operação Vulcano, desencadeada pela Polícia Federal, em 2008, numa investigação da corregedoria da Receita.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Polícia Militar prende dupla por porte de droga em frente a escola
SAÚDE
Fiocruz: quatro estados mostram tendência de alta de covid-19 e SRAG
CRIME AMBIENTAL
PMA apreende bitrem com 54 m³ de madeira ilegal descarregando em madeireira e autua proprietário
LEGISLATIVO
Neno Razuk destina emenda parlamentar de R$80 mil para saúde de Dourados