Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021

Sessão da Câmara “esquenta” e caso vai parar na delegacia de Polícia

Sessão da Câmara de Itaporã “esquenta” e caso vai parar na delegacia de Polícia

26 setembro 2013 - 15h50
Regiaonews



A sessão de ontem da Câmara Municipal de Itaporã foi suspensa pelo presidente depois que uma eleitora presente na plateia aplaudiu o pronunciamento de vereador. Este fato foi o “embrião” de toda a confusão que acabou parando na Polícia Civil onde o servidor da Câmara, Michel Vaz registrou um boletim de ocorrência contra o vereador Juarez Barreto (PSDB) por difamação e ameaça.

Conforme o registro policial o vereador Juarez foi até a sala onde estava Michel e teria dito: “Você não fica conversando comigo nos corredores, pois um funcionário, você é um vagabundo”. Depois de dizer isso o vereador tucano teria partido para agredir fisicamente Michel, mas foi contido por pessoas que estavam na Câmara.

Durante a sessão o vereador José Odair dos Santos, o Cascatinha, estava solicitando em seu discurso melhorias para a MS- 156 e uma senhora que estava no plenário aplaudiu o parlamentar. O vereador Lindomar de Freitas em aparte a Cascatinha manifestou apoio à solicitação do vereador e também foi aplaudido pela mulher.

O vereador Juarez não gostou da atitude da senhora e se levantou já alterado batendo na mesa, e solicitou que o presidente Adriano Martins colocasse ordem na sessão e ameaçou retirar a eleitora do local. Na opinião dele a senhora estava desrespeitando o Regimento Interno proíbe qualquer manifestação no auditório do Plenário.

A mulher ficou sem entender e disse que não tinha conhecimento desse regimento e que bateu palma porque utiliza a MS-156 e sabe da necessidade de melhorias. Cascatinha continuou seu discurso criticando a atitude do colega Juarez de repreender uma cidadã que não estava fazendo vandalismo e sim aplaudindo uma solicitação que só vai trazer benefícios para Itaporã.

O vereador Juarez também pediu aparte ao vereador Cascatinha e falou que se ele tivesse errado que o corregedor Andrezão o corrigisse. O vereador Andrezão fez o uso da palavra e disse que realmente o regimento interno deve ser respeitado, mas pediu que o vereador Juarez diminuísse o tom de voz, pois estava lidando com uma cidadã de bem e não com o bandido para já querer chamar a polícia.

Quando Andrezão foi se sentar em sua cadeira que fica próxima a do vereador Juarez, o parlamentar foi até ele e disse que tinha que zelar pelo regimento, pois estava estimulando o povo a fazer manifestação no plenário.

O corregedor da Câmara respondeu a Juarez que acima de tudo ele deveria respeitar o povo, pois foi o povo que o elegeu e a Casa de Leis é publica. Após essas colocações os parlamentares se exaltaram na discussão e foram segurados para não se agredirem fisicamente. Depois disso o Presidente, vereador Adriano Martins, encerrou a sessão e o vereador Juarez acabou “descontando” sua ira no servidor Michel.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Deputados derrubam vetos a lei que suspende os despejos na pandemia
MINUTO CIDADANIA
Campanha de Enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes
CORONAVÍRUS
Setembro apresenta queda de 56% nas internações por covid em relação a agosto
ECONOMIA
Dívida Pública sobe 1,57% em agosto e aproxima-se de R$ 5,5 tri