Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021

Banco Ita inicia atividades que beneficiam assentados

Banco Ita inicia atividades que beneficiam assentados

09 maio 2012 - 07h55
Divulgação (TP)

Os moradores do Assentamento Itamarati já contam com uma iniciativa inédita na região para a realização de pequenos negócios e, consequentemente, o incentivo à produção. É o Banco Ita, um banco comunitário, inaugurado na sexta-feira passada.

O Banco Comunitário é uma iniciativa brasileira que consiste na criação de um suporte financeiro para que pessoas de baixa renda, que moram em comunidades carentes, possam obter financiamentos para investir na produção.

No caso dos moradores do Assentamento Itamarati, o banco será um instrumento para fomentar os pequenos negócios: “Quero ampliar a produção da minha horta. Mas, para isso, preciso de recurso para comprar equipamentos. Sem o apoio do banco não teria como fazer isso”, afirmou Ademiro José de Souza, um dos primeiros beneficiados pelo Banco Ita.

Igual a ele, há outros exemplos de pessoas que necessitam de recursos para melhorar de vida: “o banco vai incentivar os pequenos negócios. É uma alavanca para que o produtor possa, mais tarde, andar com as próprias pernas. E a inadimplência é zero, pois todos se cobram. Assim, ninguém fica devendo. Outra vantagem é que a pessoa, ao pagar o empréstimo, renova o crédito que já vem ampliado. E tudo é administrado pelos próprios cooperados, pois o banco pertence a eles e a não a uma instituição financeira que visa lucros”, explica Leonora Michelin, da Associação Ateliê de Idéias, ONG que auxilia na criação de bancos comunitários no Brasil.

Segundo ela, o Banco Ita será o segundo em Mato Grosso do Sul. “Temos uma experiência bem sucedida em Dourados, com o Banco Pirê. Aqui no Centro Oeste estão sendo implantados mais nove bancos. Isto significa que a comunidade está se unindo e descobrindo que, juntos, é possível crescer, melhorar de vida, realizar sonhos”, afirmou Leonora.

Na solenidade de inauguração do Banco Ita, os assentados destacaram a importância da criação de uma instituição para financiar as atividades no local: “Queremos mostrar que é possível viver com dignidade aqui no assentamento, produzindo alimentos e obtendo renda com o nosso trabalho. O banco vai nos ajudar a buscar os meios de ficarmos por aqui, produzindo”, ressaltou Vicente Fernandes, um dos líderes dos assentados.

O Assentamento Itamarati possui cerca de 4 mil famílias. O objetivo dos idealizadores do Banco Ita é ampliar o número de beneficiados pelas atividades da instituição, visando sempre manter as pessoas no campo vivendo dignamente; “acreditamos que o Assentamento Itamarati tem todas as condições para se tornar um exemplo de reforma agrária bem sucedida. Muitos projetos que começam pequenos, se tornam grandes, contribuindo para melhorar a vida de todos”, frisou a Irmã Olga Manosso, uma das lideranças do Assentamento.

O secretário municipal de Saúde, Josué Lopes, representou o prefeito Flávio Kayatt na solenidade. Ele disse que a iniciativa criada pelos assentados está recebendo apoio da Prefeitura. “O prefeito determinou que a Procuradoria Geral do Município ficasse à disposição deste grupo para auxiliar no encaminhamento das questões burocráticas e legais”, garantiu Josué. A medida foi elogiada pelos assentados.

COMO FUNCIONA UM BANCO COMUNITÁRIO?


De acordo com as entidades que atuam em bancos comunitários, estes, são definidos como serviços financeiros e bancários gerenciados pela comunidade, fazendo com que estes serviços, além de mais acessíveis sejam um instrumento de organização e estímulo ao desenvolvimento local.

A atuação do banco se dá de forma integrada com a produção e o consumo local, pois é formulado a partir de linhas de crédito produtivo e de consumo, levando em consideração critérios de análise de crédito que contemple a realidade local.

Os créditos em consumo são concedidos em moeda social sem juros, de forma a propiciar uma sinergia entre os créditos produtivos concedidos e os créditos de consumo.

A aprovação dos créditos solicitados ao banco ocorre com o aval das pessoas da comunidade, que conhecem quem está solicitando o crédito.

Os trabalhadores do banco são integrantes da própria comunidade ou vivem na localidade, o que gera outra forma de atendimento, mais humana e pessoal, diferente do atendimento dos bancos convencionais.

Características do Banco Comunitário:

É a própria comunidade quem cria o banco, tornando-se gestora do mesmo por maios de uma associação local. Financia a produção e o consumo local, promovendo o desenvolvimento da comunidade.

Fomenta o desenvolvimento do comércio local e a da economia popular. Atua em territórios caracterizados pelo alto grau de exclusão social. Está voltado para público caracterizado pelo alto grau de vulnerabilidade social.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Camionete roubada em Brasília é apreendida pelo DOF
OPORTUNIDADE
Processo Seletivo para contratação de Analista de Medidas Socioeducativas está com inscrições aberta
INVESTIGAÇÃO
Polícia descarta latrocínio e investiga morte de mulher em Dourados por execução
LAGUNA CARAPÃ
Homem que seguia para Campinas com mais de 70 quilos de maconha foi preso pelo DOF