Menu
Busca terça, 13 de abril de 2021
Faculdade columbia - Matrículas abertas 2021
GERAL

Grupo de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros recebe R$ 1,3 milhão para resgate avançado

05 abril 2021 - 17h15Por Portal MS

O Grupamento de Operações Aéreas (GOA) do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul receberá, por ano, um investimento de R$ 1.320.000 que será destinado ao serviço de resgate aéreo avançado em atendimentos de urgência e emergência no Estado, em apoio à Secretaria de Estado de Saúde (SES). O Termo de Cooperação entre Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Corpo de Bombeiros e SES foi publicado nessa segunda-feira (05.04) no Diário Oficial.

O valor de repasse, que será feito pela SES, vai custear o pleno funcionamento da aeronave e o suporte às atividades de resgate.

Para o diretor de Saúde e Assessor Técnico do Corpo de Bombeiros, Marcelo Fraiha, o investimento vai possibilitar melhores condições de assistência no nível primário e secundário de atenção. “O recurso financeiro específico para essa atividade de resgate aéreo vai possibilitar mais atendimentos à população de maneira geral”, afirmou.

A aeronave – modelo Baron, bimotor, turbo hélice- já é utilizada em transportes, incluindo o de vítimas. O repasse, no entanto, formaliza o trabalho e garante melhoria na execução de suporte à vida. “Esse Termo de Cooperação vem para formalizar e possibilitar condições melhores de oferecer o suporte avançado”, explicou Fraiha.

Conforme o Termo de Cooperação, a aeronave será utilizada também para transporte de órgãos e tecidos humanos (transplantes), transportes de pacientes que precisem receber “Tratamento Fora Domicílio” (TFD), além do deslocamento de materiais. O serviço aéreo também poderá ser utilizado em apoio às missões do Corpo de Bombeiros e da SEJUSP.

Com a intervenção precoce, em casos onde o resgate aéreo é de fato necessário, é possível reduzir o índice de mortalidade, minimizar sequelas e aumentar as chances de sobrevida, como cita o Termo de Cooperação. De acordo com o protocolo de atendimento, a aeronave terá, além de piloto e co-piloto, um médico e um enfermeiro, ambos bombeiros.

Para que o avião possa ser acionado, a distância de deslocamento precisa ser, no mínimo, de 500 quilômetros, conforme explicou o comandante do Grupamento de Operações Aéreas (GOA), coronel Luidson Borges Tenório Noleto.

“Entre ida e volta, a distância mínima para que a aeronave seja deslocada é de 500 quilômetros. Desta forma conseguimos viabilizar o serviço. Mas é claro que existem exceções que serão reguladas pelas equipes do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Saúde”, afirmou o coronel Noleto.

GOA

O Grupamento de Operações Aéreas (GOA) do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul foi criado em 2016 e intensificou suas ações em 2020, com a implantação do Serviço Aeromédico (resgate). Neste período o grupo também trabalhou no apoio às operações de combate a incêndios e ações de segurança pública. Transporte de tropas e materiais também estão entre os serviços desenvolvidos.

Atualmente, o GOA possui uma aeronave Baron B58 Beechcraft e Airtractor A802 fire. "Há possibilidade de aquisição de um Cesna 206 que poderá ser usado também no resgate aéreo", ressaltou coronel Noleto.

Oferecendo continuamente preparação técnica para suas equipes, o GOA está qualificando pilotos que irão atuar em combate à incêndios florestais e que, futuramente, irão pilotar helicópteros da corporação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DIREITOS HUMANOS
Fórum discute desafios à garantia de direitos da pessoa idosa
MEIO AMBIENTE
Rio Dourados tem níveis de agrotóxico abaixo do previsto em legislação, aponta pesquisa
POLÍTICA
Comissão da Câmara discute assistência aos "órfãos da covid-19"
AQUIDAUANA
PMA autua dono de chácara por construir dois tanques de piscicultura degradando as matas ciliares