Menu
Busca quarta, 21 de abril de 2021

Mesmo cumprindo pena no regime fechado, reeducando da Capital conquista diploma de nível superior

Mesmo cumprindo pena no regime fechado, reeducando da Capital conquista diploma de nível superior

22 dezembro 2014 - 10h45Por Notícias MS
O tão sonhado, para muitos, diploma de nível superior se tornou realidade também para um reeducando do Instituto Penal de Campo Grande. José Carlos de Santana Junior, de 28 anos, tornou-se bacharel em Processos Gerenciais, pela Universidade Católica Dom Bosco, no dia 16 de dezembro, em cerimônia de formatura realizada no próprio presídio.


O interno teve acesso ao ensino de nível superior por meio de parceria entre a universidade particular e a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), estabelecida há cerca de três anos. As aulas acontecem pelo método ensino a distância e seguem os mesmos protocolos de exigências dos demais cursos do módulo virtual. Outros oito internos do presídio e mais dois do Centro de Triagem também são beneficiados pela parceria. As aulas acontecem nos setores de informática e todo o acesso é monitorado pelos responsáveis pelos setores de educação das duas unidades prisionais.


José Carlos é o primeiro da Capital e o segundo no Estado a concluir o ensino superior dentro do regime fechado, conforme informações da Divisão de Educação da Agepen. No ano passado, o custodiado Daniel Flávio Nogueira Vieira, 33 anos, se formou em Comércio Exterior, quando ainda cumpria pena no Estabelecimento Penal de Aquidauana, também por meio de parceria com a UCDB. Daniel iniciou os estudos na faculdade quando cumpria pena no Centro de Triagem e prosseguiu com os estudos mesmo após ser transferido para o outro município. Atualmente, ele está em regime semiaberto.




Para a conquista do diploma, o reeducando estudou por dois anos na faculdade e custeou os estudos com o dinheiro que ganha trabalhando na unidade penal, além da ajuda da família. O nível médio também foi iniciado e concluído no Instituto Penal, por meio de aulas da Escola Estadual Polo Regina Anffe Nunes Betine, responsável pelo ensino em estabelecimentos penais de Mato Grosso do Sul.


De acordo com o diretor do Instituto Penal de Campo Grande, Fúlvio Ramires, atualmente cerca de 200 reeducandos estudam no local, entre ensino fundamental, médio e superior. “A educação é um dos nossos principais focos para possibilitar a reinserção social dos nossos custodiados”, afirmou, destacando que os internos participam também de diversos cursos profissionalizantes no presídio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Arrecadação de março superou as melhores expectativas, diz Guedes
COTAÇÃO
Dólar fecha em leve alta após mudanças no Orçamento
POLÍTICA
Câmara: plantio de maconha para fins medicinais tem parecer favorável
REGIÃO
Polícia Militar no Distrito do Boqueirão apreende 1,5kg de maconha