Menu
Busca quinta, 15 de abril de 2021

Produtores de cana e pecuaristas migram para soja e área cresce 30%

Produtores de cana e pecuaristas migram para soja e área cresce 30%

19 janeiro 2015 - 10h15Por Campo Grande News
Muitos produtores de cana e pecuaristas estão migrando para a soja e a área destinada a cultura cresceu 30% nos últimos cinco anos em Mato Grosso do Sul. Na safra 2014/2015, a produção já alcançou 2,3 milhões de hectares e a expectativa é de 6,8 milhões de toneladas até o fim do ciclo, segundo a Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja).


A tecnologia também influencia no desenvolvimento da oleaginosa, de acordo com o técnico da Aprosoja, Leonardo Carlotto. “Pesquisas desenvolvidas na última década confirmam as vantagens da utilização de novas técnicas no campo e é cada vez maior o número de produtores que optam pela agricultura de precisão, desde a semeadura, com a escolha da semente, até a colheita com novas técnicas de manejo”, explica.

Os agricultores, que chegaram a suspender o plantio por determinado tempo em função da estiagem, iniciam a colheita nas próximas semanas. As boas condições de dezembro normalizaram as condições e o clima tem favorecido a baixa incidência de doenças e pragas, segundo o técnico.

Tecnologias - Dentre as tecnologias se destaca o SPD (Sistema de Plantio Direto), técnica utilizada por 95% dos produtores de grãos no Estado. Os produtores plantam diretamente sobre as palhas e restos de culturas deixadas na superfície do solo, sem arar a terra, o que aumenta a retenção de água e reduz a degradação do solo.

Plantar variedades transgênicas da semente é outra escolha que facilita o cultivo e tem aumentado a produção. “A semente modificada apresenta maior resistência aos defensivos agrícolas utilizados para combater pragas. Sendo assim é possível manter a saúde da planta enquanto é realizado o manejo”, detalha Leonardo.

O monitoramento da lavoura também ganhou facilitadores importantes nos últimos anos. O Vant (Veículo Aéreo Não Tripulado), também conhecido como drone percorre em apenas 30 minutos a lavoura e detecta falhas ou pragas. O diagnóstico é feito a partir de fotos de alta resolução em equipamento instalado no veículo controlado remotamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORREDOR BIOCEÂNICO
Após suspensão de licitação, governo requisita novo cronograma para obra de ponte sobre Rio Paraguai
JUSTIÇA
STF confirma decisão que determinou a abertura de CPI da Pandemia
POLÍTICA
Senado debate adiamento do reajuste de preços de medicamentos
NAVIRAÍ
Polícia Civil incinera 1,2 tonelada de drogas