Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020

Arrastada por tsunami na Indonésia, garota volta para casa após sete anos

Arrastada por tsunami na Indonésia, garota volta para casa após sete anos

22 dezembro 2011 - 14h00
UOL


Uma menina de 15 anos, que desapareceu durante o tsunami que engoliu Aceh, na Indonésia, em dezembro de 2004, foi encontrada viva e voltou para sua casa.

Wati tinha oito anos quando a aldeia de Ujong Baroh foi atingida pelo tsunami. Sua mãe, Yusniar, estava tentando levar a garota e seus dois irmãos para um lugar seguro, mas de alguma forma Wati perdeu o controle sobre o braço da mãe e foi levada pela correnteza da água, deixando a mãe impotente para ajudá-la.

Yusniar foi capaz de salvar seus dois outros filhos, mas ela e o resto da família acreditavam que tinham perdido Wati. A criança nunca mais voltou e ninguém na vizinhança a viu novamente.

Mas nesta quarta-feira (22), Ibrahim, o avô de Wati, que mora na cidade de Meulaboh, disse que recebeu um conhecido em sua casa, que estava acompanhado de uma adolescente usando um lenço de cabeça azul. O conhecido disse que a garota havia chegado ao café Simpang Pelor, onde ela apenas ficou em silêncio. As pessoas pensavam que ela era um mendigo e tentaram puxar conversa.

Ela disse que tinha chegado a Meulaboh de ônibus de Banda Aceh e estava tentando encontrar o caminho para sua casa, mas não sabia como. Ela também não conseguia se lembrar dos nomes de seus pais ou parentes, exceto Ibrahim.

Depois de ouvir a história do seu conhecido, Ibrahim percebeu imediatamente que a menina poderia ser sua neta arrastada pelo tsunami de 2004. Após olhar para a menina de pele escura com mais atenção, ele ficou convencido de que ela era Wati.

Ibrahim, em seguida, mandou dizer a Yusniar e seu marido Yusuf para vir à sua casa e conhecer Wati. Os dois confirmaram a identidade de Wati depois de reconhecer uma pequena verruga e uma cicatriz sobre sua sobrancelha que Wati ganhou aos seis anos de idade.

A imprensa local não divulgou o que ocorreu com Wati após o tsunami, apenas informou que ela viveu em diferentes lugares na província de Aceh nesse período. As informações são da agência de notícias estatal da Indonésia, Antara.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Celso de Mello antecipa aposentadoria do STF
CAARAPÓ
Policiais civis prendem jovem e comparsa suspeitos de tráfico de drogas
ECONOMIA
Febraban prevê que carteira de crédito deve subir 11,6% em agosto
CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental de Batayporã prende e autua quatro em R$ 8,4 mil por pesca predatória e apreende 139 kg de pescado, dois barcos, dois motores e petrechos