Menu
Busca sexta, 15 de janeiro de 2021

Com 7 mortes em 2012, Brasil é o 4º país mais perigoso para jornalistas

02 outubro 2012 - 14h50
Terra



O Brasil é o quarto país mais perigoso para os jornalistas, denunciou nesta terça-feira a Press Emblem Campaign (PEC), uma organização civil que busca a proteção dos comunicadores espalhados pelo mundo.

Sete jornalistas foram assassinados no Brasil neste ano, o que deixa o país atrás apenas de Síria (32), Somália (16) e México (10). Ao todo, 110 profissionais foram assassinados em 25 países nos primeiros nove meses do ano, um número "jamais registrado em um período similar", disse o secretário-geral da PEC, Blaise Lempen, em Genebra, onde funciona a entidade.

Segundo as estatísticas da PEC, o número de jornalistas mortos entre janeiro e setembro foi 36% superior ao registrado nos mesmos meses de 2011, ano em que houve 107 assassinatos no total.

Lempen confirmou que a guerra civil na Síria é a principal causadora deste preocupante aumento. "Os combatentes, sejam do lado governamental ou do lado rebelde, transformam os jornalistas em um alvo mais. Esta é uma prática que condenamos energicamente", ressaltou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR 158
PMA autua empresa mato-grossense por derramamento de cerca de 22 mil litros de combustível
ECONOMIA
China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
RIO BRILHANTE
Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas que faziam parte organização criminosa
NOTÍCIAS
Negada indenização a comprador de veículo que não comprovou defeito em motor