Menu
Busca domingo, 25 de outubro de 2020

Estudo dos EUA conclui que vírus da zika causa mesmo microcefalia

Estudo dos EUA conclui que vírus da zika causa mesmo microcefalia

14 abril 2016 - 10h30Por Bem Estar
Um estudo produzido pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), principal instituição de pesquisa de saúde do governo americano, e publicado no "New England Journal of Medicine" nesta quarta-feira (13), conclui que o vírus da zika de fato causa microcefalia e outras anomalias cerebrais graves.

É o primeiro estudo em publicação de grande relevância que afirma categoricamente que existe essa relação.
Até então, mesmo a Organização Mundial da Saúde (OMS) vinha adotando um tom mais cauteloso, indicando apenas haver fortes evidências da relação, sem considerá-la totalmente comprovada.

A pesquisa divulgada nesta quarta não apresenta novas evidências além das já conhecidas, mas chega à conclusão da relação de causa usando os dados que já havia disponíveis e submetendo-os a uma metodologia de sete itens chamada "Critérios de Shepard". A relação de zika e microcefalia preenche totalmente cinco dos critérios e parcialmente um deles. O único que não confere é o que prevê testes em que animais tenham gerado fetos com problemas.

O estudo explica que na epidemiologia dificilmente uma relação de causa como essa é comprovada por um exemplo específico e definitivo, por isso é preciso chegar a essa conclusão analisando diversas linhas de evidências.

Os autores também defendem que admitir que o vírus da zika é causador de microcefalia pode ajudar na compreensão do público e em sua adesão a estratégias de prevenção da doença.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Com novos testes positivos, casos de Covid-19 continuam crescendo em todo o MS
TRÁFICO
Motorista de guincho suspeita de contratante, aciona polícia e droga é encontrada dentro de carro em MS
SERVIDOR
Sonho que virou realidade, piloto da PM tem orgulho em servir a sociedade
CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental de Mundo Novo localiza e autua um pescador e autuará outro que divulgaram vídeo e fotos nas redes sociais praticando pesca predatória