Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020

Fachin nega pedido de Cunha e mantém suspensão do processo de impeachment

Fachin nega pedido de Cunha e mantém suspensão do processo de impeachment

12 dezembro 2015 - 11h30Por Agência Brasil
O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta sexta-feira (11) pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para que o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff volte a tramitar. Com a decisão, o ministro reafirmou que a Corte vai julgar na próxima quarta-feira (16) a legalidade da Lei 1079/50, que define as regras do procedimento de impeachment.

Na decisão, Fachin explicou que a suspensão de sua liminar é desnecessária, pois o plenário vai julgar se referenda a decisão na próxima semana. Fachin também admitiu o PT, o PSDB e o DEM no processo. Desta forma, esses partidos também poderão se manifestar sobre a legalidade da norma.

Na última quarta-feira (9), o ministro suspendeu a tramitação do pedido de impeachment de Dilma até o próximo dia 16, quando a Corte deve julgar, a pedido do PCdoB, partido da base aliada do governo, a validade da Lei 1.079/50. Fachin acrescentou que vai propor aos demais ministros o rito que deverá ser seguido pelo Congresso para dar continuidade à tramitação do pedido de impedimento da presidenta. Segundo o ministro, seu voto permitirá que o processo possa continuar sem questionamentos sobre sua legalidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTADO
Campanha quer retomada do turismo em Mato Grosso do Sul
REGIÃO
PMA fiscaliza 18 embarcações com pescadores no rio Miranda e apreende grande quantidade de redes, espinheis e anzóis de galho
SEGURANÇA PÚBLICA
Equipe do GSI da Presidência da República discute segurança nas regiões de fronteira com integrantes da Sejusp
NOTÍCIAS
Consulta pública da segunda etapa do Planejamento Estratégico 2021-2026 termina dia 2