Menu
Busca quarta, 20 de janeiro de 2021

MEC diz que acordo com servidores pode ser assinado até quarta-feira

MEC diz que acordo com servidores pode ser assinado até quarta-feira

20 agosto 2012 - 00h00Por Fonte: Jornal do brasil
O Ministério da Educação (MEC) informou que o acordo formal com o comando de greve de uma das entidades que representam os servidores técnico-administrativos das universidades e institutos federais, a Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra), deve ser assinado até quarta-feira.

Além da Fasubra, os servidores são também representados pelo Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe). A proposta de reajuste e carreira será deliberada em assembleias da categoria nesta semana.

A proposta do governo contempla reajuste de 15,8%, em três parcelas, nos anos de 2013, 2014 e 2015. O governo elevou a proposta inicial, cujo impacto era de R$ 1,7 bilhão, passando a contemplar, além do reajuste salarial, também a progressão na carreira. Os servidores obtiveram elevação do step - espécie de degrau entre um nível e outro - de 3,6% para 3,8% em três anos, aumentando os percentuais de qualificação, para incentivar os servidores com graduação e mestrado.

O acordo implica um impacto orçamentário de R$ 2,9 bilhões. Somado ao acordo assinado no dia 3 de agosto com a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), que concedeu reajustes de 20% a 45% aos professores, a negociação com os docentes e servidores das instituições federais de ensino soma um impacto em torno de R$ 7,1 bilhões.

O secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio Oliveira, que participa da mesa de negociações, está otimista. "Com a disposição manifestada pelos dirigentes da Fasubra, estamos confiantes de que vamos celebrar o acordo até a próxima quarta-feira, quando voltaremos a nos reunir com os representantes dos servidores. Também esperamos que o Sinasefe aprove o acordo e que as atividades nas universidades e nos institutos federais sejam normalizadas o mais rápido possível, tendo início a reposição das aulas", afirma Oliveira.

O retorno dos técnico-administrativos ao trabalho vai ao encontro da normalidade gradativa nas instituições federais de ensino. Assembleias vêm definindo o retorno das aulas, como nas universidades federais do Rio Grande do Sul (UFRGS); de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA); de São Carlos (Ufscar), no campus de Sorocaba; de São Paulo (Unifesp), no campus de Guarulhos; de Santa Catarina (UFSC); doze campus do Instituto Federal do Paraná (IFPR) e três do Instituto Federal do Acre (IFAC). O calendário de recuperação das atividades é definido pelos conselhos universitários de cada instituição, e será acompanhado diretamente pelo Ministério da Educação.

O MEC reafirmou que as negociações com os sindicatos dos docentes estão encerradas e não há hipótese de rever o critério da titulação na progressão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID
Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia
PONTA PORÃ
Camionete com 250 quilos de agrotóxicos foi apreendida pelo DOF
DETRAN
Pioneiros na implantação do novo sistema, Detran-MS lança Renave nesta quarta-feira
SAÚDE
Covid-19: governo lança campanha publicitária de vacinação