Menu
Busca sábado, 08 de agosto de 2020

Polícia apreende quase 700 armas do batalhão de São Gonçalo

13 setembro 2011 - 15h20

Polícia apreende quase 700 armas do batalhão de São Gonçalo

IG


Policiais civis da Divisão de Homicídios (DH) apreenderam nesta segunda-feira 695 pistolas e revólveres do 7º BPM (São Gonçalo), após determinação da secretaria estadual de Segurança. A polícia quer descobrir se alguma delas foi usada na morte da juíza Patrícia Lourival Acioli.

As armas, de calibre 38 e 40, foram encaminhadas para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE). Os peritos vão fazer um confronto balístico das pistolas e dos revólveres com os projéteis e cartuchos encontrados no local do assassinato e recolhidos do corpo da magistrada.

“O que nos interessa é a busca da verdade. Temos a obrigação de atuar e enfrentar um crime sério como este onde a Justiça é atingida. A resposta vai ser dada e já estamos muito bem encaminhados neste sentido”, ressaltou o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, completando que o estoque de armas do batalhão de São Gonçalo vai ser reposto por outras unidades.

Prisão

A investigação aponta que os três PMs presos acusados pela morte de Patrícia premeditaram o crime. De acordo com a Polícia Civil, eles decidiram matar a juíza porque receberam a notícia de que poderiam ser decretadas as suas prisões em um processo da Vara Criminal de São Gonçalo.

“Eles achavam que executando a vítima poderiam evitar a decretação da prisão. O que eles não sabiam é que no mesmo dia 11 de agosto, antes do crime, a juíza já tinha decretado a prisão”, declarou o delegado Felipe Ettore, referindo-se a um processo em que eles são acusados de matar um jovem no Morro do Salgueiro, em São Gonçalo, e de tentar forjar um auto de resistência.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
HR de Ponta Porã recebe mais 10 leitos de UTI e 40 leitos clínicos para atendimento da Covid-19
MEIO AMBIENTE
Jacaré abandonado por menino em pet shop estava com boa saúde e se alimentava bem, diz veterinário
CAPITAL
Doador anônimo doa dispositivo para cirurgia rara em bebê recém-nascida
NOTÍCIAS
Indevidos danos morais em acidente de trânsito sem prova da culpa