Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020

Veterinária da Unigran tira dúvidas sobre cuidado com gatos

04 outubro 2011 - 14h20
Veterinária da Unigran tira dúvidas sobre cuidado com gatos

Divulgação


A Médica Veterinária da Unigran especialista em Clínica Médica de Felinos, Marcela Lima, esclarece dúvidas mais freqüentes com relação ao cuidado com os gatos. Confira:

É verdade que o “barulhinho” que o gato faz é asma?
Não! O ronronar, como é chamado esse barulhinho, é produzido por contrações rápidas dos músculos vocais auxiliados pelo rápido estremecimento do diafragma, resultado em vibrações das pregas vocais durante a inspiração e expiração. Normalmente o gato ronrona quando está se sentindo bem, ou em alguns casos de estresse ou dor intensa. Com o ronronar há liberação de endorfina, hormônio relacionado ao bem estar, assim há alivio da dor e diminuição do estresse. Não tem nenhuma ligação com asma e ao contrário do que algumas pessoas ainda acreditam, não é transmitido para humanos.

Como ensinar o gato a fazer suas necessidades no lugar certo?
O gato tem o instinto de esconder suas fezes e urina, para evitar que o cheiro denuncie sua presença para possíveis predadores ou presas, por isso, se você colocar uma caixa de areia, instintivamente ele irá fazer suas necessidades ali. Exceto em casos em que o gato macho adulto começa a urinar pela casa a fim de marcar seu território, quando isso ocorre recomendamos a castração. Hoje em dia existem no mercado vários tipos e marcas de areia higiênica para gatos, é só escolher a que ele melhor se adapte, o importante é sempre manter a caixa limpa, pois os gatos não irão utilizá-la se estiver com acumulo de sujeira.

É verdade que o gato se apega ao lugar e não ao dono?
Não! O gato é um excelente companheiro, o que acontece é que ele é erroneamente comparado ao cão, são espécies diferentes e apresentam comportamentos diferentes. Os gatos não são falsos ou traiçoeiros, como dizem, só não são tão submissos aos seus donos como os cães.

Posso dar medicação humana para o meu gato?
Em primeiro lugar, nenhuma medicação deve ser administrada sem a orientação de um médico veterinário. Algumas medicações humanas realmente têm uso veterinário, mas com doses devidamente adaptadas ao peso do seu gato. O uso de medicações indevidas ou doses inapropriadas pode levar a intoxicação e desenvolvimento de doenças associadas ao medicamento. É bastante comum na rotina da clínica atendermos gatos com problemas causados por administração inadequada de medicamentos, os fármacos mais comumente usados erroneamente por proprietários são: paracetamol, aspirina e diclofenaco potássico, os quais podem provocar sérios problemas em seu animal.

Quais os cuidados que devo ter com os pêlos?
O gato faz sua higiene através da lambedura, a superfície da sua língua é áspera e isso favorece a remoção de sujeiras e pó do pêlo. Ao se lamber o gato acaba ingerindo grande quantidade de pêlos, principalmente as raças de pelagem longa, esse pêlo é eliminado através do vômito fisiológico, ou seja, uma forma natural de se eliminar os pêlos ingeridos. Para diminuir essa ingestão pilosa e evitar que pêlos fiquem espalhados pela casa, recomenda-se a escovação diária do seu felino. A freqüência de banho deve ser estipulada de acordo com o ambiente em que vive e o tipo de pelagem. Se for um gato de apartamento o qual não tem acesso à rua os banhos devem ser de no máximo uma vez ao mês, se for gato de vida livre ou ainda de pêlos longos, os banhos podem ser feitos quinzenalmente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Justiça Federal manda soltar acusados de invadir celular de Moro
ECONOMIA
Antecipação do INSS poderá ser pedida sem limitação de distância
ECONOMIA
Déficit primário do Governo Central atinge R$ 96,1 bilhões em agosto
NOTÍCIAS
1ª Câmara Cível considera regular a devolução de bem à revendedora