Menu
Busca segunda, 09 de dezembro de 2019
SAÚDE

Ações de saúde levam prevenção ao câncer a homens e mulheres em situação de prisão da capital

02 dezembro 2019 - 17h30Por Da Redação

A carreta do Hospital de Amor de Campo Grande – filial do Hospital de Barretos – estacionou, na última sexta-feira (29.11), no Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ) para realizar exames de colo do útero e de mama a mulheres privadas de liberdade da capital. Além disso, foram coletadas amostras de sangue de internos do Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) para a realização do exame de PSA, com o apoio do Hospital de Câncer “Alfredo Abrão”.

O objetivo da ação foi oferecer conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce e prevenção de diferentes tipos de câncer. Ao todo, foram realizados 40 preventivos, destinados a mulheres entre 25 e 65 anos, e 48 mamografias, para a faixa etária entre 40 a 69 anos.

A ação acontece por meio da parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Hospital do Câncer de Barretos e Instituto de Prevenção Antônio Morais dos Santos, e intermediada pela 50ª Promotoria de Justiça, representado pela promotora Renata Ruth Goya e pelo assessor do Governo do Estado, Cláudio Osório Machado.

Segundo a enfermeira técnica responsável pelos procedimentos, Esthefani Uchôa, os equipamentos utilizados são de última geração, inclusive a coleta do preventivo é feita com luz de LED, que detecta até o vírus HPV, o qual pode ocasionar câncer no colo do útero. Além disso, a carreta possui o mamógrafo avançado, que emite todos os resultados digitais.

Os laudos serão entregues em 60 dias para a unidade penal e, se caso tiver alguma alteração, as internas passarão por exames complementares e serão encaminhadas para as especialidades médicas necessárias.

Atuando na promotoria de Justiça responsável pelo sistema prisional da capital desde 2017, a promotora Renata Ruth Goya Marinho, destacou a evolução que a agência penitenciária alcançou nesse período. “A questão da prevenção do câncer é algo que vem acontecendo desde que entrei nesta promotoria e que verificamos a importância para as internas. Ações como a de hoje só acontece porque várias engrenagens funcionam, o papel de cada um é fundamental”, parabenizou.

Para a diretora do EPFIIZ em substituição legal, Célia Lino de Souza, toda ação que proporciona o acesso à saúde àquelas que estão privadas de liberdade é sempre muito bem-vinda, mesmo porque elas realmente necessitam desses cuidados essenciais. “Agradecemos o apoio da Agepen, parceiros e do Cope que realiza a segurança necessária para que esses atendimentos aconteçam”, afirmou.

Na opinião da reeducanda S.M.S.L., que realizou o exame de mamografia, essa foi uma ótima ação de prevenção. “Nos sentimos mais seguras em saber como realmente está nossa saúde e que estamos participando da campanha de prevenção contra o câncer”, relatou.

A segurança e acompanhamento de toda a ação foi realizada por agentes integrantes do Comando de Operações Penitenciárias (Cope) da Agepen.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, ressaltou o empenho de todos os envolvidos nesse projeto de prevenção ao câncer e reforçou que é através de parcerias como essas que o sistema penitenciário vai evoluir cada vez mais.

“Apoiamos todas as ações preventivas de saúde porque entendemos que esse é o melhor caminho para oportunizar um cumprimento de pena digno e humano, além de contribuir na redução de custos aos cofres públicos também”, disse o dirigente, ressaltando que atualmente existem diversas ações que o sistema prisional de MS é referência nacional, citando o monitoramento virtual eletrônico que será adotado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) como modelo para outros Estados.

Também participaram da solenidade de abertura dos trabalhos o diretor de Administração e Finanças, Rodrigo Rossi Maiorchini; o diretor de Operações, Acir Rodrigues; o chefe de Gabinete, Valdimir Ayala Castro; o chefe da Divisão de Ações de Segurança e Custódia, Alírio Francisco do Carmo; a chefe da Divisão de Assistência à Saúde Prisional, Maria de Lourdes Delgado Alves; além de agentes penitenciários e profissionais da saúde.

Instituto Penal

Para prevenir o câncer de próstata e como parte das ações da campanha do Novembro Azul, 179 reeducandos do IPCG acima de 50 anos realizaram a coleta de sangue para exames de PSA – para verificar a dosagem de uma proteína do sangue (Antígeno Prostático Específico), na última sexta-feira (29.11).

Como forma de dar continuidade no tratamento, os resultados serão entregues em até 15 dias e em caso de alteração, os reeducandos passarão por atendimento médico especializado e encaminhados para exames complementares.

Pesquisas específicas sobre prevenção de diferentes tipos de câncer revelam que cerca de 20% da possibilidade de incidência em uma pessoa está ligada a fatores genéticos. Dentre as dicas de prevenção ligadas a fatores externos estão alimentação saudável, ser fisicamente ativo, ir ao médico regularmente, realizar exames periódicos, evitar nicotina e hábitos degenerativos.

Durante a ação, o assessor do Governo do Estado, Cláudio Machado, reforçou que ações de prevenção são fundamentais para a saúde pública. “Muitas doenças têm grandes possibilidades de cura se detectáveis precocemente, então esse trabalho é muito importante e precisam ser estendidos a toda população, inclusive aos custodiados”, informou.

Ações como essas são coordenadas pela Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen, por meio da Divisão de Assistência à Saúde Prisional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
"Manicure do tráfico" é presa com cocaína
SAÚDE
Ministério da Saúde e IBGE coletarão dados sobre população infantil
TRÁFICO
Motorista é preso com maconha e munições na MS-164
POLÍCIA
Estelionatária é presa no momento em que tentava aplicar golpe