Menu
Busca quinta, 28 de janeiro de 2021
Anatel

Anatel propõe mudanças em índice usado para calcular reajustes de telefonia fixa

11 novembro 2016 - 13h23Por Fonte: agazetanews
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está estudando mudanças no cálculo de um índice que é usado para calcular os reajustes de tarifas de telefonia fixa. A nova metodologia de cálculo do Fator de Transferência X foi apresentada ontem (10) e vai passar por consulta pública por 45 dias.

O Fator X, como é conhecido, é um índice que considera os ganhos de produtividade das empresas. Todos os anos, as tarifas do plano básico de telefonia fixa são corrigidas pelo Índice dos Serviços de Telecomunicações e sobre esse valor é descontado o Fator X. Portanto, quanto maior o ganho de produtividade das concessionárias, maior será o Fator X, e, consequentemente, menor será o reajuste que é aplicado nas tarifas.

Uma das principais mudanças propostas pelo conselheiro Otávio Rodrigues é não considerar os dados de produtividade do serviço de banda larga fixa no cálculo do Fator X, o que poderá fazer com que o índice seja menor. A proposta do regulamento também prevê que o cálculo do Fator X seja feito individualmente por concessionária e não mais um valor único para todas as empresas.

Outra mudança proposta é a de fazer o cálculo do Fator X anualmente, e não a cada cinco anos, como é atualmente. Também será necessário considerar no cálculo do Fator X os processos de incorporações societárias das operadoras.

Segundo o relator, as mudanças vão permitir uma maior transparência ao cálculo do Fator X, permitindo prever ganhos de produtividade das empresas. O conselheiro disse que o Ministério da Fazenda será informado sobre as mudanças, pois o reajuste das tarifas tem impacto nos índices de inflação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Tereza Cristina: transformação digital deve inserir agronegócio
SAÚDE
Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus em oito países
POLÍTICA
Governo federal diz que não se envolve em compras privadas de vacina
ECONOMIA
Bolsonaro apela para que caminhoneiros não façam greve