Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020
Ponta Porã

Casamento comunitário legalizou união de mais de 200 casais

17 novembro 2015 - 12h33Por Fonte: reporterms
Iniciativa do Governo Ludimar em parceria com o TJ/MS deve ocorrer periodicamente

O Centro de Convenções “Miguel Gomez” em Ponta Porã ficou lotado de casais e testemunhas, no último sábado (14) pela manhã e parte da tarde, durante a realização do casamento comunitário, numa parceria entre o Governo Ludimar Novais e o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Além da estrutura oferecida pela Prefeitura Municipal de Ponta Porã, o evento utilizou as instalações do ônibus da Justiça Itinerante. O TJ-MS informou que mais de 200 casais se inscreveram na prefeitura para a conversão de união estável em casamento.

O vice-presidente do TJ-MS, desembargador Paschoal Carmello Leandro, que esteve presente, disse que aproveitou os resultados obtidos durante a Caravana da Saúde, realizada no município em maio de 2015, para repetir a ação. Na época, foram oficializados 104 casamentos, cinco divórcios e um reconhecimento de paternidade.

Desta vez, foi fundamental o trabalho executado pela primeira-dama, Káttia Fabíola Cordone Novais, junto à Secretaria de Assistência Social, para que fosse possível a captação dos candidatos e a triagem, já que nem todos os candidatos se enquadram no perfil definido pelo TJ-MS. Foram dois meses de trabalho, como revelou pessoalmente o prefeito Ludimar Novais, na abertura da cerimônia de união coletiva.

Ele disse, também, que a ação oficializou a união estável de todos estes casais, ampliando seus direitos a benefícios constituídos. Ludimar ficou satisfeito com o resultado da parceria e comentou que há possibilidade da iniciativa ser institucionalizada, passando a ocorrer periodicamente, num sistema que ainda será organizado.

CASAIS

A expressão de todos, casais, testemunhas, familiares, amigos e convidados não poderia ser outra que a de plena felicidade.

Para Ademar (27) e Suzane (23), juntos há três anos, a iniciativa do prefeito foi muito boa. Eles acreditam que já conquistaram uma situação de estabilidade e, por isso, decidiram se unir oficialmente, aproveitando a oportunidade de legalizar esta vontade sem pagar nada, já que, um casamento, dependendo do tipo de comunhão de bens, pode chegar a custar, hoje, algo em torno de R$ 800,00.

Já para o casal Genuário (31) e Cristiana (22), depois de sete anos vivendo em harmonia “já chega de enrolar” e a hora foi de aproveitar a ação da Prefeitura Municipal de Ponta Porã e do TJ-MS para casar “de graça”, porque no cartório “tá uma grana preta”.

“Isso deveria ocorrer mais vezes. Tem muita gente que gostaria de casar oficialmente, principalmente porque dá mais segurança para o casal e garantias futuras, como aposentadoria e pensões que podem ser recebidas pelo cônjuge, mas, só se a união for oficial”. É o que pensam Flávio (31) e Solange (35), que estão vivendo juntos há 10 anos. Eles parabenizaram a iniciativa e agradeceram ao prefeito Ludimar Novais.

No domingo (15), foi a vez do casamento religioso. Nem todos os casais quiseram participar das cerimônias, realizadas simultaneamente nas igrejas Matriz São José e 1ª Batista de Ponta Porã. Cerca de metade dos casais participou do casamento na igreja católica. Outras dezenas na Batista. Praticantes de outras crenças optaram por cerimônias particulares, cada um em seu templo, assembleia, ou núcleos de outras organizações religiosas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO
Com temperaturas elevadas, sexta-feira será de céu claro em todo o Mato Grosso do Sul
BR 267
Polícia Militar intercepta e apreende duas caminhonetes que seriam utilizadas pelo crime organizado na região de fronteira
ECONOMIA
Pedidos de seguro-desemprego caem 9,3% na primeira metade de setembro
PONTA PORÃ
Polícia Civil prende mulher que forjou o sequestro do próprio neto