Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020
Ponta Porã

Nem a chuva impediu mutirão contra o mosquito “aedes aegypti” em Sanga Puitã

Moradores do distrito estão disponibilizando caminhão, trator com reboque e sacos de lixo em apoio aos agentes de saúde e endemias

15 janeiro 2016 - 13h30Por Assessoria

A garoa, que manteve a região mais encharcada ainda com a chuva constante que tem se precipitado, não impediu que a equipe, formada por agentes de saúde, soldados do 11º Regimento de Cavalaria Mecanizado e pessoas da comunidade, na manhã desta quinta-feira (14) ao mutirão de combate ao mosquito “aedes aegypti”, transmissor da dengue da chikungunya, do zika vírus e da febre amarela, no Distrito de Sanga Puitã.

O apoio da comunidade foi fundamental para a realização do mutirão, segundo os coordenadores de vigilância em saúde da prefeitura, foi disponibilizado através de apoio de empresário e da comunidade um caminhão, um trator com reboque e pacotes de sacos de lixo, para o recolhimento de entulhos e materiais descartáveis que possam acumular água.

O prefeito Ludimar Novais (PDT), os secretários municipais de Saúde, Imad Hazime, e de Comunicação, Ricardo Zacarias, estiveram acompanhando a operação, que teve como QG o Posto ESF José Bataglin, naquele distrito. Uma grande reunião de trabalho foi realizada pela gerente de Vigilância em Saúde, Marina Derzi; e pelo coordenador do setor de vetores da Secretaria Municipal de Saúde, Edilson Melgarejo, com todos os agentes de saúde e militares antes de iniciar os trabalhos.

Mais de 60 profissionais estão realizando o mutirão, que deve ser estendido até esta sexta-feira (15). Os agentes da Vigilância em Saúde e Controle de Endemias – Vetores estão recolhendo lixo, pneus e outros materiais em terrenos baldios e conscientizando moradores sobre a responsabilidade de cada um no combate ao mosquito.

Os moradores também auxiliam com informações sobre imóveis abandonados e sobre pessoas idosas ou com outro tipo de limitação para cuidar de seus quintais, a fim de que os agentes providenciem e limpeza desses locais.

O prefeito Ludimar Novais lembrou a importância do trabalho da equipe que realiza o mutirão, mas frisou que ainda mais eficiente do que localizar e eliminar os focos do mosquito é conscientizar a população, “já que 80% dos criadouros estão nas casas e o mosquito tem capacidade de se deslocar num raio de 200 metros. Então, não adianta uma pessoa manter sua casa completamente limpa se o seu vizinho não fizer o mesmo”.

Por isso, ele destacou que a Prefeitura de Ponta Porã está fazendo a sua parte, mas, que a Municipalidade de Zanja Puitã (no Paraguai) faça o mesmo. O prefeito da vizinha cidade paraguaia, Marcelino Rolón, garantiu aos profissionais de imprensa que vai agilizar mutirão semelhante ainda esta semana. Uma tentativa de trabalho conjunto foi programada para 15 de dezembro passado, mas, as chuvas impediram a ação.

Novais ainda considerou o fato de que esta ação educa e mantém casas e logradouros limpos, “o que é bom para todos”. “Estamos nessa luta desde julho do ano passado e ela vai ficar cada vez mais acirrada, já que o combate ao mosquito deve ser diário e ininterrupto”, completou o prefeito, voltando a frisar que “se cada cidadão não fizer a sua parte, não teremos bons resultados e todo este esforço poderá acabar sendo inútil”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 32 milhões nesta quinta-feira
TEMPO
Quinta-feira de céu nublado e máxima de 37°C para o Estado
JARDIM
Polícia Militar Ambiental de Jardim fiscaliza o rio da Prata e Formoso onde a pesca é proibida e apreende petrechos ilegais
SAÚDE
ANS: 59% das queixas sobre covid-19 são para exames e tratamentos