Menu
Busca domingo, 27 de setembro de 2020
MS

Fenômeno El Niño pode causar tempestades em todo o estado nos próximos meses

Maior volume de chuvas pode contribuir para proliferação do mosquito Aedes aegypti

04 dezembro 2015 - 12h39Por Fonte: riobrilhantenews
Pelos próximos três meses, Mato Grosso do Sul pode ter chuvas mais generalizadas e por vezes forte, segundo prognóstico do meteorologista Natálio Abrão. O alto volume de precipitações pode causar inundações e a preocupação é proliferação do mosquito Aedes aegypi, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

O meteorologista disse que a previsão é devido a influência do fenômeno El Niño, que é um aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico e produz profundos efeitos no clima. Esse aquecimento começou em março deste ano e deve começar a diminuir em março de 2016. Segundo Natálio, essa alteração é a mais significativa registrada desde 1997.

De acordo com o meteorologista, historicamente o El Niño tem influenciado no regime de chuvas e, como há essa influência intensa, a tendência é de que pelos próximos meses ocorram chuvas mais generalizadas em todo o estado e aumento da temperatura.

“O fenômeno do El Niño historicamente traz chuva em volumes maiores e mais distribuídas e pode ocorrer chuva intensa com raios e rajadas de ventos. A tendência é de valores mais significativos, a gente espera chuva de 100 mm e pode chover 300 mm, por exemplo”, disse.

Esse volume maior de chuvas em curto espaço de tempo pode causar alagamentos e inundações. Ainda segundo Natálio, o grande acumulado de chuvas na região sul do estado, que causou estragos e já fez 14 municípios decretarem situação de emergência, já é reflexo do fenômeno.

Com a previsão de chuvas intensas, a preocupação é com relação a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus, que se multiplica em água parada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DIREITOS HUMANOS
Não se deve menosprezar a capacidade de um surdo, diz pesquisador
SAÚDE
Média de mortes por covid-19 no Brasil cai 10,35% em uma semana
GERAL
Engenheiro brasileiro enfrenta desafios em missão simulada
DOURADOS
Guarda cumpre mandado e prende ‘Maldita’ durante festa na Cachoeirinha