Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021

Segundo dados do IBGE senso 2010, 28,80% da população de Ponta Porã tem algum tipo de deficiência sendo: 14.269 deficientes visuais, 3014 deficientes auditivos, 4.270 deficientes motores e 881 pessoas com alguma deficiência mental ou intelectual, Ludimar

17 agosto 2012 - 07h55
Divulgação (TP)

A acessibilidade foi o assunto da conversa do candidato a prefeito pela “Coligação Ponta Porã pode mais” Ludimar Novais (PPS), em uma reunião no Bairro Jardim das Rosas onde estiveram presentes representantes de portadores de necessidades especiais.

Ramona, que é cadeirante, recebeu Ludimar e o candidato a vereador Lobato pelo PMN, dizendo que iria tentar repassar aos candidatos as dificuldades de um cadeirante em Ponta Porã. “Ninguém sente na pele como nós, eu faço um desafio que um cadeirante não consegue de deslocar do ponto final de ônibus até o Banco do Brasil, principalmente nas calçadas da Marechal Floriano, não há na cidade uma política de acesso aos portadores de necessidades especiais e nos bairros estamos completamente esquecidos”.

Joãozinho do PC do B outro candidato a vereador pela coligação “Ponta Porã pode mais 1” destacou “Quero representar este segmento e colocar em debate esta questão que se torna problema de todos, mas é ainda maior para quem esta numa cadeira de rodas, existem dois tipos de deficientes, o rico e o pobre, e eu sei que da imensa falta de acessibilidade do pobre, temos vários tipos de deficientes, o cadeirante, o que fica na cama, o de muletas entre outros, as calçadas são nossa principal dificuldade, e muitos ônibus também não tem o elevador”, salientou.
Emocionado Ludimar disse que estava na reunião realmente para aprender e que sairia dali levando uma lição de vida diante da superação de Joãozinho e de muitos outros, e que nossa cidade perdeu a oportunidade de ser destaque nacional no quesito acessibilidade.

Para o candidato a prefeito Ludimar é essencial garantir a todos, sem distinção, o direito de ir e vir. “O tema envolve muito os portadores de necessidades especiais, mas também a todos, que está garantido constitucionalmente o seu direito de ir e vir sem obstáculos. Temos a obrigação de respeitar todas as pessoas, independente de sua condição física. Venho aprender para melhor desenvolver ações na área da acessibilidade, mas tiro como maior lição a superação deste homem que é companheiro em nossa chapa busca e, de forma inédita, lutar pelos cidadãos na Câmara”, enfatizou.

O candidato a vereador disse também a Ludimar que ele como prefeito, deve ter visão e antes de executar, deve ouvir pessoas que passam por diferentes situações. “É importante ter visão de um todo, mas de um todo com detalhes que são ou refletem as diferenças. Não adianta até fazer uma rampa, piso tátil, ficar bonito e dizer que assegurou o espaço, se for feito errado. Tem detalhes, que só nos sabemos, como virar ou não a roda, como se apoiar, usar banheiros públicos, hoje na rodoviária de Ponta Porã o banheiro destinado para cadeirantes não tem portas, é muito constrangedor”, explicou Joãozinho.

Ludimar esteve no banheiro da rodoviária e constatou uma triste realidade, que não existe o banheiro para portadores de necessidades especiais, e também esteve no banheiro do ponto final de ônibus o qual constatou que além da sujeira não há condições de qualquer cidadão fazer uso dos banheiros públicos.

Segundo dados do IBGE- 2010 em Ponta Porã, existem em Ponta Porã 14.269 com alguma deficiência visual do qual 75 completamente cegos, 3014 com alguma deficiencia auditiva do qual 80 completamente surdos, 4.270 deficientes motores do qual 204 não consegue de modo algum se movimentarem sozinhos e 881 pessoas com alguma deficiência mental ou intelectual resultando todos os grupos num total de 28,80% da população do município. Levando em conta esse número Ludimar disse que quer trabalhar em prol dos portadores de necessidades especiais garantindo-lhes mais qualidade de vida.

Conheça as definições do IBGE:

Deficiência motora - Incapacidade motora (mesmo com o uso de prótese, bengala, ou aparelho auxiliar, se a pessoa usá-los) dividida em: Incapaz de caminhar ou subir escadas (pessoa se declara incapaz de caminhar ou subir escadas sem ajuda de outra pessoa, por deficiência motora),

Deficiência auditiva - Incapacidade auditiva (mesmo com o uso de aparelho auditivo, se a pessoa usá-lo) dividida em: Incapaz de ouvir (pessoa se declara totalmente surda)

Deficiência mental permanente - Retardamento mental resultante de lesão ou síndrome irreversível, que se caracteriza por dificuldades ou limitações intelectuais associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas, tais como: comunicação, cuidado pessoal, autodeterminação, cuidados com saúde e segurança, aprendizagem, lazer, trabalho etc. Não foram consideradas deficiências mentais perturbações como autismo, neurose, esquizofrenia e psicose.

Deficiência visual - Incapacidade visual (mesmo com o uso de óculos ou lentes de contato, se a pessoa usá-los) dividida em: Incapaz de enxergar (pessoa se declara totalmente cega)

Fonte: Ricardo Zacarias- Assessor

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Saúde alerta sobre ligações e SMS falsos de cadastro para vacinação
IMUNIZAÇÃO
Primeiros imunizados contra Covid-19 relatam emoção e encorajam população
REGIÃO
Administrador de empresas é autuado por desmatamento ilegal
SAÚDE
Distanciamento continua fundamental, mesmo com vacinação, diz Opas