Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
Saúde

Ministro diz que pílula do câncer só será distribuída se Anvisa comprovar efeito

Caso o resultado dos estudos sobre os efeitos da fosfoetanolamina, não comprovarem sua eficácia, a droga não será incluída na Relação Nacional de Medicamentos (Rename), disse Barros

17 maio 2016 - 11h28Por Fonte: perfilnews
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou na segunda-feira, dia 16, durante visita à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), que, caso o resultado dos estudos sobre os efeitos da fosfoetanolamina, conhecida como pílula do câncer, não comprovarem sua eficácia, a droga não será incluída na Relação Nacional de Medicamentos (Rename) e não será distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mesmo estando liberada por projeto de lei.

"A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está fazendo os estudos. Pedi agilidade à Anvisa não só nesse caso, mas em vários outros nos quais precisamos rapidamente aprovar medicamentos novos e princípios ativos. A Anvisa precisa nos garantir mais agilidade, com segurança e proteção ao consumidor".

O secretário estadual de Saúde, David Uip, informou que, assim que o laboratório responsável por produzir a fosfoetanolamina entregar o material, o governo paulista encapsulará rapidamente a droga e em prazo de seis meses já haverá resultados.

"É a primeira pesquisa que há e daqui a pouquíssimo tempo teremos os resultados definitivos". David declarou ainda que deve ter reuniões com o ministro quarta (18) e quinta-feira (19).

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
MS registra 479 novos casos de Covid-19 e faixa etária de 30 a 39 anos é a mais afetada
AQUIDAUANA
Polícia Militar Ambiental autua infrator em R$ 2,3 mil por incêndio em leiras de vegetação proveniente de limpeza
ECONOMIA
Decisão do STF evita perda na arrecadação de R$ 1,2 bilhão, diz Reinaldo Azambuja
DOURADOS
Homem invade casa, tenta estuprar jovem e é detido por populares