Menu
Busca terça, 27 de outubro de 2020
Ponta Porã

Mostra "Frontera" é nesta quinta-feira em Ponta Porã

Conceituado Artista Plástico Júlio Cezar Alvarez realiza exposição com obras que retratam a inquietação do cotidiano fronteiriço

16 março 2016 - 09h48Por Assessoria

A fronteira entre Ponta Porã (BR) e Pedro Juan Caballero (PY), possui uma diversidade sócio-cultural impar em constante inquietação. É neste cenário que o artista plástico, Julio Cezar Alvarez busca inspiração para produzir suas obras em telas e objetos que como o próprio autor define, não possui início nem fim, com um olhar longe e ao mesmo tempo perto, sem limites, mas com cautela sem perder a transgressão em meio as cores e formas.

Todo talento, imaginação de Julio Cezar Alvarez, será apresentado na Exposição "Fronteira" que tem inicio nesta quinta-feira, a partir das 19h30 no Centro de Convenções Internacional Miguel Gomes em Ponta Porã.A entrada é gratuita.

"Fronteira" contará com telas e objetos produzidos em seis meses de árduo trabalho, que retratam o cotidiano do dia a dia das cidades vizinhas, que mesmo em meio ao caos, possui personagens interessantes que inspiram o artista.

""A exposição possui obras que buscam despertar no público, a inquietação, o questionamento e ao mesmo tempo explicar o inexplicável da fronteira. As telas e objetos formam um caminho para que possamos juntos entender esta riqueza cultural, de uma dinâmica fronteira" explica Julio.

Ele lembra que a fronteira está em constante movimento, com fatos e acontecimentos inusitados, formando personagens inspiradores, propondo um longo caminho de ambigüidade que permite cada vez mais atenção e compromisso com a sensibilidade.

"A fronteira possui esta característica de encontrar tipos, cores e formas que inspiram, tudo ao mesmo tempo, cada qual com sua particularidade, que mesmo no caos se transformam em alegria, festa, música e emoção" frisa.

A exposição contará com "Ivaga Rapé", do guarani que significa "Caminho ao Céu" com peças e objetos que formam uma junção de cenas e personagens que se encontram em meio as possibilidades existentes na fronteira.

Julio ressalta que algumas peças que compõem a mostra, foram produzidas com materiais recicláveis, feitas por alunos há mais de 40 anos, em aulas de estágio em uma instituição de ensino. "Na produção das telas para exposição, por acaso surgiu uma série de papeis e formas, que lembrei ser de alunos que atendi a 40 anos. Então resolvi produzir objetos que fará parte do "Ivaga Rapé" .

O artista plástico agradece a Prefeitura de Ponta Porã através da Fundação da Cultura de Ponta Porã pela oportunidade em apresentar "Fronteira" no Centro de Convenções Internacional, onde também aconteceram palestras pré-agendadas pelas instituições de ensino.

"É uma satisfação realizar uma exposição em Ponta Porã, junto a população da fronteira, em um momento importante da minha vida. A fronteira tem coisas magníficas para ser apresentada. Meu muito obrigado a Prefeitura e a Fundação da Cultura de Ponta Porã pelo apoio logístico para realização da exposição".

A crítica de arte Maria Adélia Menegazzo, avalia que as pinturas de Julio demandam do observador uma relação afetiva provocada pelas cores intensas, pelas figuras desajeitadas e fragmentadas. "Mas é preciso olhar atentamente para elas e perceber a ambiguidade de que são revestidas".

As instituições de ensino podem agendar as visitas monitoradas e a palestra "Arte para qué?" pelo telefone 67-34315675.

A Exposição "Frontera" já passou pelo MARCO - Museu de Arte Contemporânea (Marco) em Campo Grande, em setembro de 2015 e no inicio de março no Shopping China em Pedro Juan Caballero, com sucesso de público e critica.Vale conferir.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Batalhão de Choque da PMMS apreende cerca de uma tonelada de maconha
TJMS
Segunda etapa do Concurso da Magistratura começa no dia 31
DIREITOS HUMANOS
Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo em MS abre edital para entidades
CRIME AMBIENTAL
Empresário é autuado em R$ 5,5 mil por construção de pousada e rancho pesqueiro degradando área protegida de matas ciliares do rio Taquari