Menu
Busca quarta, 21 de outubro de 2020
Educação

Rede Estadual de Ensino tem 7 mil estudantes na Olimpíada Brasileira de Informática

20 maio 2016 - 14h29Por Fonte: noticias
Nesta sexta-feira (20) cerca de 7 mil estudantes do ensino fundamental da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul realizam as provas dos níveis 1 e 2 da Olimpíada Brasileira de Informática (OBI 2016), uma competição organizada pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) nos moldes das outras olimpíadas científicas brasileiras, como Matemática, Física e Astronomia.

Em Mato Grosso do Sul, cerca de 7 mil estudantes se inscreveram na Olimpíada, o dobro de 2015, com 3485 inscritos. O objetivo da OBI é despertar nos estudantes o interesse pela Ciência da Computação, importante na formação básica hoje em dia, por meio de uma atividade que envolve desafio, engenhosidade e uma saudável dose de competição. A organização da OBI está cargo do Instituto de Computação da UNICAMP.

A OBI está organizada em três modalidades:

Modalidade Iniciação:
Nível 1, para alunos até sétimo ano do Ensino Fundamental e
Nível 2, para alunos até nono ano do Ensino Fundamental.
Modalidade Programação:
Nível Júnior, para alunos do ensino fundamental,
Nível 1, para alunos até o primeiro ano do ensino médio e
Nível 2, para alunos até o terceiro ano do ensino médio.
Modalidade Universitária:
Para alunos que estejam cursando, pela primeira vez, o primeiro ano de um curso de graduação.
Modalidade Iniciação – nível 1 e nível 2

Na modalidade Iniciação os alunos concorrem resolvendo problemas de lógica e problemas de computação, sem uso de computador, apenas utilizando lápis e papel. O objetivo desta modalidade é despertar o gosto por problemas de computação e detectar talentos potenciais para programação.

Modalidade Programação – nível júnior, nível 1 e nível 2

A prova da modalidade Programação exige conhecimento em programação; é necessário prover computadores para os participantes, na ocasião da prova. A prova é composta de tarefas de programação com níveis variados de dificuldade: há tarefas mais fáceis, em que um conhecimento mínimo de programação é suficiente, e algumas tarefas mais difíceis, que exigem um conhecimento um pouco mais avançado de programação, com noções de estruturas de dados, em um nível normalmente ensinado em bons colégios técnicos, ou no primeiro ano de cursos superiores de computação ou engenharia.

Modalidade Universitária

A prova da modalidade Universitária exige conhecimento em programação; é necessário prover computadores para os participantes, na ocasião da prova. A prova é composta de tarefas de programação com níveis variados de dificuldade: há tarefas mais fáceis, em que um conhecimento mínimo de programação é suficiente, e algumas tarefas mais difíceis, que exigem um conhecimento um pouco mais avançado de programação, com noções de estruturas de dados, em um nível normalmente ensinado em bons colégios técnicos, ou no primeiro ano de cursos superiores de computação ou engenharia.

Premiação

Todos os participantes receberão certificados de participação. Os melhores colocados de cada modalidade receberão ainda medalhas de ouro, prata e bronze.

Os melhores colocados das modalidades Iniciação e Programação serão convidados para uma semana de cursos no Instituto de Computação da Unicamp. Os alunos da modalidade Iniciação participarão de Cursos de Introdução à Programação; os alunos da modalidade Programação participarão de Cursos de Programação Avançada. Os cursos serão ministrados no Instituto de Computação da Unicamp, e acontecerão em datas divulgadas oportunamente. Para os alunos da modalidade Programação nível 2, haverá, durante o Curso de Programação Avançada, uma seleção para escolher os quatro alunos integrantes da equipe brasileira na Olimpíada Internacional de Informática, que conta com a participação de equipes de mais de 70 países.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
MEC discute novas formas de avaliar ensino superior
PIX
Procon pede explicações a Mercado Pago e NuBank sobre cadastros
Clientes dizem que foram cadastrados sem autorização
GERAL
Huawei avança em energia solar no Brasil e mira em baterias
INTERNACIONAL
EUA pedem que Brasil "mantenha olhar crítico" sobre a China