Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020

Vereador é denunciado pelo Ministério Público por estelionato e extorsão

18 fevereiro 2016 - 13h47Por Fonte: tudodoms
O vereador Laudo Sorrilha Brunet (PDT), que está em seu 3º mandato na Câmara de Maracaju, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual à Justiça sob a acusação de cometer extorsão e estelionato contra idoso daquela cidade, que fica a 162 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com denúncia, feita pela promotora Simone Almada Góes no dia 11 deste mês, Laudo teria recebido R$ 1,2 mil ao longo de nove anos de um idoso, hoje com 68 anos. A vítima procurou o vereador e advogado por conta de certo reconhecimento do trabalho dele com causas trabalhistas.

O homem, considerado no inquérito como "carente e de baixa escolaridade", queria se aposentar e procurou os serviços do vereador, que o atendeu em seu escritório, em Maracaju. Para garantir que os pagamentos fossem feitos, o político ainda era ajudado por Ranulfo Sorrilha e Sirlei José Balestrin.

Eles faziam ligações constantes cobrando a mensalidade do idoso. Quando havia atraso ou o não pagamento, era informado que o benefício recebido pelo homem, que na verdade se tratava de auxílio-doença e não aposentadoria, poderia ser cancelado por Laudo.

Em investigação do MPE, foi constatado que houve ligações do telefone da Câmara para cobrar a vítima sobre o pagamento de mensalidades.

A filha da vítima tentou interromper essas cobranças, mas segundo o Ministério Público Estadual o vereador dissera ao idoso que "era para o declarante (vítima) acreditar nele e não na filha, pois o negócio era entre os dois, e a aposentadoria iria sair e que era para o declarante lhe pagar até dezembro/2015, pois senão daria um jeito de cancelar seu benefício".

A ação penal de extorsão, estelionato majorado, patrocínio infiel e quadrilha ou bando foi distribuída para a 2ª Vara de Maracaju e aguarda manifestação do juiz. O procedimento investigatório criminal foi instaurado em 3 de junho do ano passado.

No pedido do MPE, a promotora cobra dos suspeitos reparação de danos materiais no valor de R$ 85 mil e reparação de danos morais, no total de R$ 340 mil.

OUTRA INVESTIGAÇÃO

A promotora Simone Almada Góes levantou informações, em setembro de 2015, que Laudo Sorrilha Brunet seria investigado também pela Polícia Federal de Dourados por crimes de fraude ao INSS, formação de quadrilha e estelionato.

O delegado federal em Dourados, Leonardo de Souza Caetano Machado, estaria a frente do caso. A reportagem tentou contato com o policial, mas ninguém atendeu o telefone.
NA CÂMARA
A reportagem do Portal Correio do Estado tentou contato com o vereador investigado por telefone, mas não houve retorno.

De acordo com a página da Câmara de Maracaju, Laudo é político desde 1995 e foi eleito vereador em 2000. Foi reeleito em 2008, como o vereador mais votado da história do município, com 1.594 votos. Em 2012 manteve-se na Casa, ao receber 766 votos. Ele foi primeiro secretário no biênio 2013/2014.
Ele também trabalhou na prefeitura de Maracaju como diretor do departamento de controle e convênios e prestação de contas, em 1996.

O presidente da Câmara, Hélio Albarello (PMDB), foi procurado em seu celular para comentar o caso, mas a ligação caiu e não foi possível novo contato com ele.
Na Casa de Leis, a reportagem ligou no telefone fixo na tarde desta quarta-feira (17) e não houve resposta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS
Com mais de 131 mil análises ‘padrão ouro’, Lacen foi ferramenta essencial no enfrentamento à Covid-19
ECONOMIA
Caixa paga 2ª parcela de R$ 300 da extensão do auxílio emergencial
EMPREGO
Técnico de enfermagem e agente de viagem estão entre as 1,4 mil vagas de emprego disponíveis na Funtrab
TEMPO
Semana começa com aviso do Inmet para chuvas intensas em Mato Grosso do Sul