Menu
Busca domingo, 24 de janeiro de 2021

Bolt se revolta contra "malas" olímpicos e promete contrabandear corda nos 200 m

07 agosto 2012 - 17h30
Uol

O homem mais rápido do mundo está revoltado com a formalidade excessiva da organização dos Jogos Olímpicos de Londres-2012. No dia em que venceu os 100 m rasos, Usain Bolt levou duas broncas. A primeira, quando tentou entrar no estádio olímpico com uma corda que costuma usar para se aquecer. Não conseguiu. A segunda, quando ia para a pista para sua final: “Fique na fila”, disse um dos juízes.

A vingança virá na quarta-feira, quando ele vai disputar as semifinais e, muito provavelmente, a final dos 200 m. “Amanhã, vou entrar com a corda. Vou esconder no funda da minha mala, bem no fundo”, avisou o jamaicano.

Ele já tinha reclamado do fato logo depois de conquistar o ouro nos 100 m. “Meu Deus, porque tantas regras? Você não pode fazer nada. Algumas delas são bem esquisitas. Quando viram a minha corda, disseram só que não podia entrar, que eram as regras”, falou Bolt, que ainda lembrou do fiscal na entrada da pista. “Estávamos lá, prontos para correr, e o homem diz que temos de manter a linha reta. Mesmo? Linha reta? Algumas desses regras não fazem sentido nenhum, na minha opinião”.

A organização já avisou que vai averiguar o que aconteceu no caso da corda. “Como eu acho que era um item de aquecimento, temos de verificar”, falou Sebastian Coe, presidente do comitê organizador. Outra porta-voz da organização, Kackie Brock-Doyle, disse, nesta terça, que ainda não tinha detalhes para oferecer sobre o caso: “Se a corda foi confiscada na entrada do estádio, foi errado. Se isso aconteceu quando ele entrava na pista, foi o procedimento correto”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo deve controlar gastos
SAÚDE
Estados brasileiros começam a receber vacina de Oxford
SAÚDE
Número de casos de Covid-19 continua alto na maioria das cidades do Estado
NOTÍCIAS
Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para obras inéditas