Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
Faculdade columbia - Matrículas abertas 2021
ESPORTES

Edina Alves será a única árbitra mulher no Mundial de clubes

Assistente Neuza Back também foi escolhida pela FIFA

04 janeiro 2021 - 14h45Por Agência Brasil

A Fifa divulgou nesta segunda-feira (4) a lista dos árbitros e assistentes do Mundial de Clubes de 2020 do Catar. A árbitra brasileira Edina Alves Batista é a única mulher escolhida pela entidade máxima do futebol mundial para comandar um trios de arbitragem durante o campeonato. Edina está no quadro da Fifa desde 2016 e já comandou jogos da Série A do Campeonato Brasileiro masculino e uma semifinal da Copa do Mundo Feminina de 2019.

Entre as duas assistentes mulheres chamadas pela Fifa está outra brasileira, Neuza Back. Além dela, a argentina Mariana de Almeida também integra o grupo. Neuza Back é integrante do quadro da Fifa desde 2014. Além de também ter trabalhado no último Mundial feminino, já participou de vários jogos da Série A do Campeonato Brasil e em uma partida da Copa Sul-Americana masculina.

A lista da Fifa inclui sete árbitros de campo, 11 assistentes e outros sete árbitros de vídeos. O grupo deve viajar ao Catar uma semana antes do início do evento para que sejam respeitados todos os protocolos relativos à pandemia do coronavírus (covid-19).

O Mundial de Clubes de 2020 está programado para os dias 1 e 11 de fevereiro de 2021. Já estão classificados seis times. O Tigres, campeão da Concacaf, o Bayern de Munique, vencedor da Liga dos Campeões, o Ulsan Hyundai, representando a Ásia, o egípcio Al Ahly, campeão africano, o Auckland City, representante da Oceania, e o Al-Duhail, do país-sede.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
Resolução foi publicada hoje no Diário Oficial da União
MS
Resultado preliminar da seleção de profissionais de saúde é divulgado
SAÚDE
MS ultrapassa a marca de 2,7 mil mortes e 152 mil casos confirmados de coronavírus
INTERNACIONAL
China enfrenta pior surto de covid-19 desde março de 2020