Menu
Busca domingo, 22 de setembro de 2019
ESPORTES

Jogos-Parapan-Americanos em Lima têm paratletas sul-mato-grossenses em destaque

02 setembro 2019 - 09h00Por Dourados News com Fundoesporte

Mato Grosso do Sul tem sido destaque nos Jogos Parapan-Americanos de Lima no Peru, com grandes nomes do paradesporto representando o Estado na seleção brasileira nas modalidades de atletismo, judô, futebol de sete e goolball.

Entre as conquistas do Brasil estão as medalhas no atletismo dos desportistas sul-mato-grossenses Yeltsin Francisco Ortega, ouro nos 1500m e bronze nos 5000m, Gabriela Mendonça Ferreira, ouro no salto em distância e bronze nos 100m, Jair Henrique Souza, ouro no lançamento de dardo e bronze no peso.

O paratleta de Caarapó, Jonatan da Silva Ferreira também garantiu o pódio com o 3º lugar nos 100m, t37, o campo-grandense Davi Wilker de Souza e o naviraiense Fabrício Júnior Barros Ferreira também estão entre os representantes do Brasil no atletismo.

No Judô a medalha de ouro veio com o atleta de Camapuã, Luan Simões Pimentel na categoria 73kg. E no futebol de sete, cinco dos 12 convocados para seleção brasileira são de Mato Grosso do Sul. Com uma grande renovação, a seleção manteve a hegemonia como em 2007 e 2015 e se consagrou campeã do Futebol PC no Parapan 2019.

Conheça nossos representantes:

ATLETISMO

Yeltsin Francisco Ortega Jacques

Nascimento: 21/09/1991, Campo Grande (MS) Peso: 69 kg Altura: 1,80m Classe: T12 História: Yeltsin nasceu com baixa visão. Ele conheceu o atletismo ajudando um amigo, totalmente cego, a correr. Então, começou a treinar junto com ele para competir e iniciou sua carreira nas Paralímpiadas Escolares em 2007. Principais conquistas: Ouro nos 1.500m e nos 5.000m dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; prata nos 1.500m e bronze nos 800m no Mundial de 2013 na França.

Gabriela Mendonça Ferreira

Nascimento: 21/05/1998, Campo Grande (MS) Peso: 68Kg Altura: 1,75m Classe: T12 História: Quando a mãe de Gabriela estava grávida, um gato infectado com toxoplasmose a mordeu na barriga. A mordida afetou a visão e audição da atleta, que tem coriorretinite (inflamação da retina) bilateral e otite crônica. Em 2009, ela descobriu o esporte paralímpico por meio de um projeto escolar. Principais conquistas: Ouro nos 100m, nos 200m e prata no salto em distância no Mundial de Jovens de Nottwill em 2017; ouro nos 100m e nos 400m Jogos Parapan-Americanos de Jovens 2017 em São Paulo; ouro nos 100m, 200m e salto em distância no Jogos Parapan-Americano de Jovens 2013 na Argentina.

Jair Henrique Souza

Nascimento: 31/08/1994, Araçatuba (SP) Peso: 43kg altura: 1,26m Classe: F40 História: Jair possui nanismo. Ele conheceu o esporte paralímpico em Mato Grosso do Sul aos 15 anos por meio de um tio cadeirante que treinava atletismo.

Jonathan da Silva Ferreira

Nascimento: 17/07/1995, Caarapó (MS) Peso: 74kg Altura: 1,77m Classe: T37 História: Jonatan teve meningite com apenas um ano de idade. Como sequela da doença, o atleta ficou com os membros do lado direito afetados. Ele começou no esporte paralímpico aos 16 anos quando sua professora de Educação Física o encaminhou para um projeto com esporte adaptado. Principais conquistas: Ouro nos 100m e prata nos 400m nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens 2013 na Argentina.

Davi Wilker de Souza

Nascimento: 28/04/1997, Campo Grande (MS) Peso: 73kg Altura: 1,82m Classe: T13 História: Davi nasceu com deficiência visual. Começou nas Paralímpiadas Escolares, em 2010, por meio de seu professor.

Fabrício Júnior Barros Ferreira

Nascimento: 17/01/1998, Naviraí (MS) Peso: 67Kg Altura: 1,68m Classe: T12 História: Fabrício nasceu com toxoplasmose, doença que afeta a visão. Aos 14 anos, sofreu também descolamento de retina. Conheceu o esporte paralímpico em 2013 por meio de uma associação para deficientes visuais.

FUTEBOL DE SETE

Herbert Honório Lemes Oviedo

Nascimento: 11/12/1995, Campo Grande (MS). Peso: 63kg Altura: 1,77m Classe: FT2 Posição: Zagueiro/meio-campo História: Possui hemiparesia, por conta de complicações no parto, causando comprometimento no braço e perna esquerdos. Conheceu o esporte por meio de um professor em Campo Grande. Foi convocado pela primeira vez em 2019. Principais conquistas: Bronze no Mundial da modalidade de 2019 na Espanha.

Heitor Luiz Ramires Camposano

Nascimento: 03/12/1998, Campo Grande (MS) Peso: 65kg Altura: 1,75m Classe: FT2 Posição: Zagueiro História: Devido à falta de oxigenação no parto, Heitor tem paralisia cerebral que afeta os membros esquerdos. Conheceu a modalidade por meio de um amigo, em 2016. No mesmo ano foi convocado pela primeira vez para a Seleção. Principais conquistas: Bronze no Mundial da modalidade de 2019 na Espanha.

Moacir Fernando Silva Matos

Nascimento: 24/12/87, Campo Grande (MS) Peso: 68kg Altura: 1,84m Classe: FT1 Posição: Goleiro História: Teve paralisia cerebral por falta de oxigenação e ficou com os membros do lado esquerdo comprometidos. Principais conquistas: Bronze no Mundial da modalidade de 2019 na Espanha.

Wesley Gabriel dos Santos Ferreira

Nascimento: 26/02/2000, Campo Grande (MS) Peso: 57kg Altura: 1,68m Classe: FT2 Posição: Goleiro História: Devido à demora para nascer e falta de oxigenação, Wesley tem paralisia cerebral que afeta os membros direitos. Uma professora da escola que frequentava o indicou para um clube em sua cidade em 2013. Principais conquistas: bronze no Mundial da modalidade de 2019 na Espanha; prata no Parapan-americanos de Jovens 2017 em São Paulo.

GOOLBALL

Gleyse Priscila Portioli Henrique

Nascimento: 29/07/1983, Batayporã (MS) Peso: 72kg Altura: 1,70m Classe: B2 Posição: Ala História: Após um glaucoma afetar parcialmente sua visão, Gleyse começou a praticar corrida, mas foi no gooalball, em 2008, que a atleta encontrou sua verdadeira vocação. Principais conquistas: Bronze no Campeonato Mundial 2018 em Malmö 2018; ouro nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; prata nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011; prata no Campeonato das Américas 2017 em São Paulo.

Judô

Luan Simões Pimentel

Nascimento: 29/09/1997, Camapuã (MS) Peso: 73kg Altura: 1,82m Classe: B3 Categoria: Até 73kg História: Tem baixa visão por conta do albinismo. Iniciou na modalidade em 2013, no Projeto Judô no 10, em Camapuã. Principais conquistas: ouro no Campeonato das Américas 2018 no Canadá; prata no Campeonato das Américas 2017 em São Paulo; ouro nos Jogos Parapan-americanos de Jovens 2017 em São Paulo.

Jogos Parapan-americanos de Lima 2019

Desde 1999, os atletas brasileiros já conquistaram 1.026 medalhas em Jogos Parapan-Americanos, sendo 445 de ouro, 310 de prata e 271 de bronze. Nas três últimas edições, Rio 2007, Guadalajara 2011 e Toronto 2015 o Brasil terminou os Jogos na primeira posição do quadro de medalhas.

Neste ano o Parapan conta com a participação de 33 países e mais de 1,8 mil atletas. Integram a seleção brasileira, 513 pessoas, sendo 337 atletas e acompanhantes (atletas-guia, calheiros e pilotos) em 19 modalidades desportivas (Atletismo, Basquete em cadeira de rodas, Bocha, Ciclismo, Futebol de 5, Futebol de 7, Goalball, Halterofilismo, Judô, Natação, Parabadminton, Parataekwondo, Rúgbi em cadeira de rodas, Tênis em cadeira de rodas, Tênis de mesa, Tiro esportivo, Vôlei sentado).

Desde a estreia o Brasil se mantém na frente do quadro de medalhas do Parapan com 222 medalhas no total (88 ouros, 73 pratas, 61 bronzes), Estados Unidos na segunda posição no ranking com 148 medalhas (50 de ouro, 48 de prata e 50 de bronze). As competições seguem até dia 1 de setembro).

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONTRABANDO
Polícia encontra 25 mil maços de cigarros e pneus contrabandeados dentro de veículos
ECONOMIA
Governo desbloqueia R$ 8,3 bilhões do Orçamento
CAPITAL
Após matar criança afogada, pai ligou para ex e inventou sequestro
POLÍCIA
Homem é multado em R$ 5 mil por incêndio para limpeza de terreno no perímetro urbano