Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

Apesar de chuvas, usinas conseguem aumentar moagem de cana

06 fevereiro 2012 - 10h17Por Assessoria
Apesar do excesso de chuvas, as usinas de Mato Grosso do Sul conseguiram aumentar a moagem de cana-de-açúcar na safra 2011/2012, subindo de 33,51 milhões de toneladas para 33,85 milhões de toneladas, conforme boletim divulgado nesta sexta-feira (03/02) pela Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia do Estado). “O Estado conseguiu garantir uma produção recorde, maior do que qualquer uma que já tivemos, mas esses números são inferiores à nossa estimativa”, avaliou o presidente da Biosul, Roberto Hollanda.

Os dados atuais mantêm Mato Grosso do Sul na 5ª posição entre os Estados produtores de cana-de-açúcar, perdendo apenas para São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Paraná. “Mais uma vez o principal fator inibidor da nossa produção foi o clima. O excesso de chuvas nas duas safras anteriores, seca na penúltima e, mais uma vez, água em demasia na produção que acaba de se encerrar comprometeu a nossa produtividade. A pluviosidade prejudicou as lavouras especialmente nos meses de abril, junho e julho. No fim de junho de 2011, a geada também frustrou a produção”, pontuou Roberto Hollanda.

Mix

Com relação ao mix de produção, que revela quanto da cana foi destinado à produção de etanol ou açúcar, o Estado continuou destinando a maior parte para a produção do etanol, ou seja, 63%, um percentual bem acima da média da Região Centro-Sul, que é de 52%. O anidro, que é misturado à gasolina, foi o produto que mais cresceu (18%), com uma produção de 425,8 milhões de litros, enquanto o hidratado, usado nos veículos flex e dedicados a etanol, teve redução de 19%, uma produção de 1,205 bilhão de litros. Os dois produtos juntos apresentam uma redução de 11,5 % com relação à safra passada, um total 1,631 bilhão de litros.

Já a produção do açúcar cresceu 20% em relação a safra anterior, com um volume de 1,58 milhão de toneladas, sendo que, do total, 66% desse açúcar é do tipo VHP, açúcar bruto para exportação e para posterior refinamento. Hoje, o açúcar é o 2º colocado nas exportações de Mato Grosso do Sul. Em 2011, o produto gerou US$ 650 milhões em receita para o Estado, conforme os dados da Secretaria de Comércio Exterior. No Brasil, a produção também é significativa e no ranking nacional aparece em 4º lugar. Com relação ao etanol, a maior parte da produção de Mato Grosso do Sul, isto é, 88%, vai para outros Estados, como São Paulo e Paraná.

Bioeletricidade

Segundo o presidente da Biosul, a bioeletricidade consolidou-se em 2011 como mais um produto das usinas do Estado, que entregaram para o sistema interligado nacional 1.100 Giga Watts Hora. Essa quantidade equivale a duas vezes o consumo industrial do Estado e cerca de 80% do consumo residencial estadual. A capacidade instalada em Mato Grosso do Sul é de 830 MW, sendo 590 MW para consumo da própria usina e 240 MW excedente.
Cerca de 600 mil hectares são cultivados com cana no Estado, sendo 480 mil hectares com área de colheita, 39 mil hectares com renovação, 77 mil hectares para plantio e 19 mil hectares para produção de sementes/mudas. Esse contingente de terras representa cerca de 4% do total destinado ao agronegócio estadual. Da área de produção do Estado, 12% destina-se a outras culturas e 84% para pecuária. Estudos indicam ainda que existam em Mato Grosso do Sul, em áreas de pastagens subaproveitadas, 8 milhões de hectares.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LAGUNA CARAPÃ
Caminhão que seguia para Campo grande com mais de seis toneladas de maconha foi apreendido pelo DOF
PROPINA DIFERENTE
Traficante Minotauro usou canetas de US$ 900 para pagar propina a agentes paraguaios, afirma MPF
ECONOMIA
Seis milhões de pessoas pediram empréstimo na pandemia, diz IBGE
CORONAVÍRUS
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário