Menu
Busca quinta, 09 de julho de 2020

Celular causa briga entre irmãs que acaba em morte

Celular causa briga entre irmãs que acaba em morte

10 agosto 2011 - 12h38Por Techtudo
Uma garota americana de 17 anos foi acusada de matar a tiros sua irmã de 14 após uma discussão por causa de um celular. O crime teria acontecido na casa em que as duas moravam, em Pensacola, Flórida.

Os investigadores afirmam que Elena Rendell, 17, entrou em uma briga com sua meio-irmã, Christina, 14, por causa do uso do telefone celular até que finalmente foi para um dos quartos da casa e pegou uma pistola 9mm com a qual efetuou um único disparo. Vizinhos dizem ter ouvido a menina correr de sua casa após o tiro, gritando por ajuda e dizendo que sua irmã havia sido baleada.

Elena foi presa ainda na casa e levada para um centro de detenção de jovens. O tiro acertou Christina no pescoço. Paramédicos levaram a menina para o hospital mas ela não resistiu aos ferimentos. Após a morte de sua irmã mais jovem, Elena viu as acusações contra ela se transformarem em um caso de homicídio em segundo grau sem esboçar nenhuma reação.

Julgada como uma adulta por haver arma de fogo envolvida, a menina pode enfrentar uma pena que pode chegar à prisão perpétua. O irmão de Elena, o Sargento Jason Rendell, apelou ao juiz que liberasse a menina sob seus cuidados. O juiz negou o pedido validou a condenação sob uma fiança de US$300 mil.

O caso é mais um sintoma de que o vício em telefones celulares pode ser considerado um problema grave na atualidade, o que fica claro nas consequências extremas a que pode levar pessoas privadas de seu uso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Veículos carregados com produtos ilegais foram apreendidos pelo DOF durante a Operação Hórus
INTERNACIONAL
OMS: transmissão de vírus pelo ar pode se dar em procedimento médico
CRIME AMBIENTAL
Empresa de cerâmica é autuada em R$ 5 mil por extração ilegal de argila, interdita local de exploração e apreende retroescavadeira
PONTA PORÃ
Veículo com mais de 270 quilos de maconha foi apreendido pelo DOF durante a Operação Hórus