Menu
Busca sábado, 23 de janeiro de 2021

Comerciantes agradecem a Delcídio verba para reformar Mercadão

Comerciantes agradecem a Delcídio verba para reformar Mercadão

12 julho 2012 - 18h00
Divulgação (TP)

“O senador Delcídio é o verdadeiro pai desse filho que vai nascer. Somos muito gratos a ele, que nos apóia desde que começamos a discutir o projeto , a partir de uma articulação feita pelo vereador Paulo Siuffi, que também tem sido um grande companheiro”.

A afirmação é do empresário Ronald Kanashiro, presidente da Associação do Mercado Municipal, o Mercadão, um dos centros comerciais mais antigos e tradicionais de Campo Grande, que começa a ser reformado no segundo semestre.

“A expectativa dos donos de boxe é enorme. Pelas informações da prefeitura, a licitação já está na rua e as obras devem começar em breve”, adianta Kanashiro.
Delcídio é o autor da emenda ao Orçamento da União de 2011, no valor de R$ 585 mil, que permitirá iniciar a reforma. A partir de um acordo parlamentar, o senador Waldemir Moka (PMDB) também assina o pedido.
Os recursos foram liberados pelo Ministério do Turismo. A prefeitura entrou com uma contrapartida de R$ 117 mil , totalizando R$ 702 mil de investimento na primeira etapa da obra, quando vão ser resolvidos os problemas mais urgentes, como a substituição da rede elétrica, a instalação de um pára-raio e hidrantes, a restauração do telhado, a colocação de um piso de granilite e a reforma dos banheiros, para garantir acessibilidade aos portadores de deficiência.

Através de nova emenda, desta vez ao Orçamento de 2012, Delcídio já garantiu mais R$ 600 mil para a segunda etapa da reforma, que prevê a interligação do Mercadão com a Praça Oshiro Takemori, situada na rua em frente, alem da ampliação do estacionamento, a construção de uma praça de alimentação e uma área de shows.

“O problema é que, até agora, a prefeitura não encaminhou o projeto técnico da segunda fase para análise do Ministério do Turismo. Apenas foi feito, em 12 de abril, o cadastramento da proposta 12884/2012 junto ao SICONV, que é o sistema através do qual o governo federal firma convênios com estados e municípios. Ë preciso que a prefeitura tome essa providencia para que não se percam os recursos que consegui através da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República”, alerta o senador.


Inaugurado em 30 de agosto de 1958, o Mercado Municipal de Campo Grande tem 2 mil metros quadrados e abriga 400 vendedores em 144 bancas e 77 boxes. De acordo com a Associação, por lá circulam diariamente 4.500 pessoas.


Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Decreto institui sistema que verifica emissões de carbono no agro
DETRAN
Renave é garantia de segurança e credibilidade nas transações comerciais, diz diretor
CONCESSÃO PÚBLICA
Usuários da MS-306 contam com atendimentos gratuitos, de socorro mecânico a combate a incêndios
ECONOMIA
Linguiça tradicional de Maracaju é o segundo produto a receber o Selo Arte em MS