Menu
Busca terça, 09 de março de 2021

Delcidio vai a ministro pedir FAEMS no conselho da SUDECO

Delcidio vai a ministro pedir FAEMS no conselho da SUDECO

20 setembro 2011 - 09h55Por Assessoria
O senador Delcídio do Amaral(PT/MS) se reúne hoje (21), às 10h, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para solicitar a inclusão da Federação das Associações Comerciais de Mato Grosso do Sul no Conselho da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO).

“É uma reivindicação mais do que justa dos empresários do nosso estado, especialmente em função da força do comércio na economia sul-mato-grossense. Nada mais legítimo do que a FAEMS ter assento na SUDECO para que ela possa participar diretamente das decisões que a superintendencia venha a tomar na definição dos investimentos a serem feitos em Mato Grosso do Sul”, afirmou o senador, durante reunião promovida nesta segunda-feira, 19 de setembro, pela FAEMS, na sede da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande.

Além de se reunir com o ministro Bezerra, Delcídio vai assinar o documento com a mesma reivindicação, a ser enviado a SUDECO por todos os membros da bancada de Mato Grosso do Sul em Brasília. No encontro promovido pela FAEMS, do qual participaram dezenas de empresários e dirigentes de associações comerciais de todas as regiões do estado, o senador voltou a defender a diminuição a carga tributária como forma de promover o desenvolvimento e aumentar a arrecadação.

“A carga tributária no Brasil já passou da conta. Temos que reduzí-la para desonerar investimentos e a folha de pagamento das empresas. Os movimentos nesse sentido já começaram. Na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, por exemplo, estamos discutindo a renegociação das dívidas dos estados, a desoneração das exportações e a revisão dos incentivos à importação.. Temos que acabar com essa crença existente no país de que diminuir impostos provoca redução da arrecadação. Ao contrario. Experiências recentes comprovam que , quando se diminui as alíquotas, cai o preço dos produtos, o consumo aumenta e a arrecadação também”, ponderou Delcídio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Pré-selecionados do Prouni têm até sexta para comprovar informações
ECONOMIA
União pagou R$ 1,35 bilhão de dívidas de estados em fevereiro
CAARAPÓ
Suspeito de homicídio é preso em flagrante pela Polícia Civil
ECONOMIA
Valor médio de auxílio emergencial será de R$ 250, diz Guedes