Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021

Desigualdade salarial entre sexos cresce 16%

01 maio 2012 - 20h55Por Correio do Estado
Depois de pensar um pouco, a vendedora Jeniffer Thaís Paulino, 20 anos, afirmou, com certa dúvida: “Talvez porque o homem passa a imagem de ser mais responsável”.

Ela tentava encontrar uma justificativa plausível para o crescimento de 16,25% da diferença salarial entre homens e mulheres em Mato Grosso do Sul na comparação entre o primeiro trimestre deste e do ano passado.

Os números, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), mostram também que essa distância se alarga em quase todo o País – situação que faz deste 1º de Maio uma data para se pensar, entre outras questões, na dificuldade de se superar as desigualdades entre os gêneros no mercado de trabalho.

De acordo com o MTE, o salário médio real (descontando a inflação do período) do homem era de R$ 876,78 nos três primeiros meses de 2011 e subiu para R$ 942,21 em igual intervalo deste ano; já o da mulher, passou de R$ 768,26 para R$ 816,05. O ganho delas aumentou 6,22% e o deles, 7,46%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Enem 2020: confira hoje a correção das provas ao vivo
BRASIL
Mesmo com vacina, vitória sobre coronavírus passa por 'mudança de comportamento social'
Antônio Barra Torres deu declaração ao abrir reunião da Anvisa que analisa pedidos de uso emergencial de duas vacinas contra Covid-19
SAÚDE
Ocupação de leitos em UTI Covid continua alta nas cinco macrorregiões do Estado
TRÂNSITO
DPVAT: Seguro obrigatório não será cobrado em 2021