Menu
Busca quinta, 06 de agosto de 2020

Título Interno

18 agosto 2011 - 08h09
Uol


Dayanne de Souza, ex-mulher do goleiro Bruno Souza e ré no processo sobre sumiço da ex-amante do jogador Eliza Samudio, ministra aulas particulares para sobreviver. Ela responde, em liberdade, pelos crimes de sequestro e cárcere privado. Dayanne disse à reportagem do UOL Notícias que procura de emprego fixo.

“É verdade. Antes de me casar com o Bruno, eu dava aulas particulares. Então, quando aparece um aluno ou outro eu pego. Estou atrás de um emprego porque preciso sustentar as minhas filhas”, afirmou em relação às duas filhas que têm com o atleta.

“Eu não estou escolhendo, não [emprego]. Quando você está passando por necessidade, você tem que pegar o que vier”, disse a mulher, que vive atualmente com os pais em uma casa localizada em bairro da região da Pampulha, em Belo Horizonte. Ela afirma que dá aula de diversas disciplinas escolares, como matemática e português.

Dayanne disse que pretende abrir uma clínica de estética, mas o projeto estaria condicionado à venda do sítio que o casal tem em Esmeraldas, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, e que fora apontado pela polícia mineira como local de cativeiro de Eliza Samudio.

“Eu já me perguntei um milhão de vezes, mas não sei [a resposta]. O sítio está à venda há praticamente oito meses”, disse ela, quando questionada sobre a demora na venda do imóvel.

Mágoa por traições
Apesar de desejar ao ex-marido “que seja feliz para sempre” na relação com a dentista carioca Ingrid de Oliveira, que se apresenta como noiva do goleiro, Dayanne não escondeu certa “mágoa” com o goleiro e com a dentista.

“Foi uma traição. Quando ele começou a se relacionar com essa moça [Ingrid], eu estava casada com ele. Quando eu estava grávida da nossa segunda filha, ele continuou a ter contato com essa moça. Eu briguei demais com ele. Às vezes, ela ligava para ele, e eu estava do lado”, disse.

Dayanne é taxativa em relação à convivência das filhas com relacionamentos amorosos do jogador. “Bruno sempre foi muito ‘baladeiro’, bem mulherengo. Então eu sempre dizia a ele: você pode fazer o que quiser da sua vida. Mas a partir de certo momento da minha vida, eu passei a viver para as minhas filhas. Então, uma coisa que eu nunca permiti foi contato das minhas filhas com outra mulher que ele tenha ou venha a ter”, afirmou.

Ela afirmou que não pretende deixar que Ingrid tenha contato com as filhas, caso se torne mulher do goleiro. “O que eu puder resolver com o Bruno para que ela não tenha contato algum com as minhas filhas, isso será melhor.”

Após notícia veiculada dando conta de que a separação entre o casal seria litigiosa, Dayanne fez questão de salientar a busca por entendimento entre ela e o ex-marido. “Eu também quero me separar dele. Então não há por que haver litígio. Tudo que diz respeito à separação já foi conversado entre mim e ele [Bruno]”, finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Agentes prisionais tiveram saúde mental abalada na pandemia
Pesquisa mostra que tensão entre os presos é um dos motivos
SAÚDE
MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
TRÊS LAGOAS
Polícia Militar Ambiental captura jiboia em condomínio
NOTÍCIAS
Paraguai prevê reabertura de lojas da fronteira em setembro
Ministro de Relações Exteriores diz que conversa está avançada com governo brasileiro