Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020

Frigoríficos fechados no estado revoltam sindicalistas

09 novembro 2011 - 18h33Por Wilson Aquino
Pelo menos seis grandes frigoríficos de Mato Grosso do Sul continuam fechados, deixando de empregar, no mínimo, 6 mil trabalhadores. As autoridades do Estado, inclusive o judiciário, deveriam atentar para isso e facilitar a reabertura dessas unidades para gerar emprego e renda na região. O levantamento e sugestão é de Rinaldo de Souza Salomão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins de Campo Grande e Região – STIAACG/MS.

Os próprios empregados de algumas indústrias que foram fechadas têm interesse de reabrir as atividades e tocarem o negócio por intermédio de cooperativas de trabalhadores. “Os trabalhadores têm condições sim de tocar os negócios e de trabalhar duro para colocar a máquina em funcionamento. Para isso, basta que as autoridades sejam mais flexíveis e facilitem essa entrada no mercado”, comentou Rinaldo citando como exemplo frigoríficos que fecharam em Campo Grande, Três Lagoas e Aquidauana, onde os trabalhadores já manifestaram publicamente o interesse de tocarem os negócios.

Em Itaquirai, Ambambai e Nova Andradina também existem unidades frigoríficas desativadas. Rinaldo sugere que o governo interfira e facilite a entrada de novos empresários na área já que alguns deles estão estruturados até para o abastecimento do mercado externo.

“Nossa carne é de primeira e estamos em plena safra. Logo, não justificam esses
estabelecimentos fechados, apodrecendo com a ferrugem. Precisamos ser mais dinâmicos na resolução de problemas que envolvem grandes estruturas como essas que estão paralisadas até por conta de questões jurídicas”, comentou Rinaldo que espera ser ouvido pelas autoridades do Estado e da União.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Celso de Mello antecipa aposentadoria do STF
CAARAPÓ
Policiais civis prendem jovem e comparsa suspeitos de tráfico de drogas
ECONOMIA
Febraban prevê que carteira de crédito deve subir 11,6% em agosto
CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental de Batayporã prende e autua quatro em R$ 8,4 mil por pesca predatória e apreende 139 kg de pescado, dois barcos, dois motores e petrechos