Menu
Busca terça, 26 de janeiro de 2021

Idosa e família reencontram filha após 38 anos separados

Idosa e família reencontram filha após 38 anos separados

10 setembro 2012 - 15h10
Douradosnews


Um emocionante reencontro entre uma idosa e seus filhos com uma filha que há 38 anos não se viam foi registrado em Dourados neste final de semana em um dos bairros da periferia da cidade.

O reencontro ocorrido no bairro Alto do Alvorada se deve ao empenho do jornalista e atual diretor/presidente da Funed (Fundação de Esporte de Dourados) Antonio Coca; do empresário Giovanny Marques e do agricultor Nelson Amaral, o “Nelson Jabá” e teve como protagonista, o operador de máquinas pesadas, Ademir Leme dos Santos, o “Baixinho”, hoje com 46 anos. A HISTÓRIA

“Baixinho” em contato com Giovanny Marques e “Nelson Jabá” disse que tinha uma irmã separada da mãe, dele e de seus irmãos havia 38 anos e que gostaria em reencontrá-la, já que a matriarca Clara Marto, hoje com 70 anos, vinha nos últimos meses passando por grande angustia por não ter mais visto a filha.

Após passar as informações para o empresário e o agricultor, “Baixinho” disse que iria escrever uma carta para as emissoras de rádios de Dourados, com o intuito de tentar localizar a irmã em com isso realizar o desejo da mãe, que seria a de encontrar a filha, Nadir Leme dos Santos, hoje com 45 anos e que soma ao sobrenome de casada o nome “Nicoletti”.

O empresário e o agricultor por sua vez narrou à história de “Baixinho” a Antonio Coca, e este de imediato se prontificou a ajudar na busca da irmã do operador de máquina, e contando com o apoio do cartório do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Dourados, a mulher foi encontrada por meio de uma checagem do seu último voto na campanha eleitoral passada, tendo como domicilio eleitoral, a cidade de Severina, no interior de São Paulo.

ESPERANÇA PERDIDA
De posse do endereço eleitoral da mulher, ela acabou sendo localizada após um contato por carta endereçada pela família que não havia há quase quatro décadas.

Com a carta enviada a ela, apurou-se que a mesma não mais residia em Severina, mas sim na cidade de São José do Rio Preto, onde junto com o esposo e os filhos reside atualmente em uma chácara.

Tendo acesso a carta por meio de uma antiga vizinha, Nadir Leme de imediato manteve contato com “Baixinho” e na noite de sexta-feira desembarcou em Dourados para o reencontro com seus familiares, em especial, com a mãe que havia lhe deixada quando residiam em uma fazenda na cidade de Caarapó.

Já no sábado pela manhã, Nadir Leme abraçada à mãe e cercada pelos irmãos, “Baixinho”, Rosa Maria, Eduardo Leme, Claudemir Leme e com exceção a Adriano Leme que não pode vir até a eles, disse à reportagem que não tinha mais esperança em reencontrar a sua família, todavia, ao receber a carta de seu irmão uma forte emoção segundo ela tomou conta de seu coração. “Quando a minha ex-vizinha trouxe a carta de meu irmão, pensei que iria explodir de tamanha alegria. Sinceramente a minha esperança em rever minha mãe já estava perdida e hoje aqui graças a Deus posso falar para o meu marido e para os meus filhos, que tenho ainda a minha mãe ao meu lado e de agora em diante não vamos mais nos separar” disse emocionada Nadir Leme em lagrimas beijando o não menos rosto emocionado de sua mãe.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Saúde atualiza plano de vacinação com novas categorias na prioridade
BATAGUASSU
Polícia Militar apreende mercadorias descaminhadas
IMUNIZAÇÃO
Vacinas já distribuídas atendem cerca de 10% dos públicos prioritários
BRASIL
Justiça lança projeto-piloto para redução da oferta de drogas ilícitas