Menu
Busca segunda, 18 de janeiro de 2021

Indústria continua otimista para os próximos 6 meses, aponta Fiems

08 maio 2012 - 07h28
Daniel Pedra/Fiems


A Sondagem Industrial realizada no 1º trimestre deste ano pelo Radar Industrial da Fiems junto às empresas sul-mato-grossenses confirma a manutenção do otimismo da indústria estadual para os próximos seis meses com boas expectativas em relação às exportações, às demandas por produtos industrializados, às compras de matérias-primas e às contratações de empregados. A melhor marca dos indicadores dos industriais do Estado foi registrada nas vendas de produtos industrializados para o mercado externo com índice de 64,3 pontos.

Logo em seguida aparecem as demandas pelos produtos industrializados, com índice de 56 pontos, sendo que comportamentos similares foram verificados quanto às compras de matérias-primas, com índice de 54,8 pontos, e quanto ao número de empregados a serem contratados, com índice de 51,2 pontos. “Os quatro casos apresentaram indicadores acima dos 50 pontos, o que significa a ocorrência de expectativas positivas para os próximos seis meses deste ano em todo o setor industrial de Mato Grosso do Sul”, traz avaliação do Radar da Fiems.

Ainda conforme a Sondagem Industrial, em Mato Grosso do Sul o encerramento do primeiro trimestre de 2012 foi marcado pela elevação da produção industrial. No entanto, os empresários industriais de Mato Grosso do Sul mostraram-se insatisfeitos com os resultados obtidos em relação à margem de lucro operacional, condições de acesso ao crédito e situação financeira geral da empresa.

ICEI

Além disso, o Índice de Confiança do Empresário Industrial em Mato Grosso do Sul (ICEI/MS) alcançou em abril o equivalente a 59,2 pontos. O destaque ficou por conta da manutenção da elevada confiança dos empresários industriais em relação ao comportamento esperado para as economias brasileira, sul-mato-grossense e das condições de desempenho da própria empresa, que apresentaram índices de equivalentes a 60,3, 61,2 e 68,1 pontos, respectivamente.

Em abril, para 18,2% dos respondentes as condições atuais da economia brasileira melhoraram. No caso da economia estadual, na mesma comparação, a melhora, também, foi apontada por 18,2% dos participantes. Por fim, com relação à própria empresa, as condições atuais estão melhores para 22,7% dos respondentes. Enquanto 36,4%, 40,9% e 45,5% disseram que não houve alteração nas atuais condições da economia brasileira, estadual e no desempenho da própria empresa, respectivamente.

Para os próximos seis meses, 45,4% dos respondentes mostram-se confiantes em relação à economia brasileira, enquanto no caso da economia estadual, na mesma comparação, os que disseram estar confiantes alcançou a marca de 50%. Por fim, com relação ao desempenho da própria empresa, considerando os próximos seis meses, 63,7% dos respondentes mostraram-se confiantes, sendo que 45,5%, 36,4% e 27,3% disseram que, no mesmo período, não deve haver alterações em relação à economia brasileira, estadual e no desempenho da própria empresa, respectivamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Vacinação contra covid-19 começa ainda hoje nos estados, diz Pazuello
CORONAVÍRUS
Com o Painel Mais Saúde, população pode conferir em tempo real situação de ocupação de leitos em MS
SAÚDE
Vacinas contra a covid-19 começam a ser distribuídas
EDUCAÇÃO
Enem 2020: 51,5% dos inscritos no Enem não comparecem ao exame
Ministro da Educação, Milton Ribeiro, diz que domingo inicial do exame foi 'um sucesso'