Menu
Busca domingo, 18 de agosto de 2019
VAZAMENTO

Juiz anula prova de digitação do concurso público da Polícia Civil

13 fevereiro 2019 - 09h30Por Da Redação

Depois de inúmeras denúncias e reivindicações pedindo a anulação da prova de digitação do Concurso Público para a Polícia Civil, juiz decidiu ontem (12/2), anular a fase. Os candidatos comemoraram o cancelamento da prova, que foi feita em setembro de 2018.

A decisão foi tomada pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande. Nos autos, ele relata que os candidatos deverão ser convocados novamente para que a etapa seja reaplicada.

O juiz ainda destaca na decisão que a prova pode ter tido vazamento de textos que podem ter beneficiado o desempenho de candidatos e que isso consequentemente ajudou o avaliado para que realizasse a etapa de digitação mais tranquilo. “A justiça foi feita”, comentou uma candidata ao site Midiamax.

Vazamento e pedido de anulação

A Comissão do Concurso Público da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul havia confirmado que candidata levou a folha de texto da prova de digitação e acabou sendo desclassificada do concurso. Após o vazamento, o MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) propôs uma ação civil pública com pedido de urgência. Segundo a instituição, o vazamento do texto, por uma candidata, feriu o princípio de igualdade do concurso.

A prova de digitação corresponde à sexta fase do concurso da Polícia Civil e foi aplicada entre os dias 8 e 9 de setembro. Os candidatos foram divididos em grupos, que se sucediam a cada meia hora, mas o texto era o mesmo para os dois dias de prova.

Nos autos, o Ministério Público considera que o conteúdo do texto para avaliação foi idêntico para todos os grupos de candidatos e defende que o vazamento prejudicou a igualdade entre os concorrentes. “É inegável que o acesso prévio ao texto da avaliação, ainda que parcial, contribuiu para a incrementar o desempenho daqueles que tiveram contato com a folha de prova veiculada na rede social”, diz o documento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Laudo sugere que cacique indígena morreu afogado
POLÍTICA
Projetos avançam em Brasília com ministros empenhados em trabalhar pelo MS, diz Murilo Zauith
BRASIL
Governo lança projeto para estimular empreendedorismo nos jovens
POLÍCIA
Contrabandistas são presos com cigarro e inseticida na MS-162