Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020

Leishmaniose está controlada em Amambai

Leishmaniose está controlada em Amambai

06 fevereiro 2012 - 15h21
Divulgação (TP)

Após uma ação realizada em conjunto entre a Prefeitura de Amambai, através da Secretaria de Saúde, Vigilância Sanitária, Vigilância Epidemiológica, Corpo de Bombeiros e Casa de Saúde Indígena, onde foi averiguada uma suspeita de leishmaniose na Aldeia Amambai, foi constatada que o resultado dos exames foi negativo, não existindo o caso da doença.

As equipes percorreram a região na Aldeia Amambai onde foi diagnosticada a suspeita, recolhendo os cães para retirarem amostras de sangue. Os resultados foram encaminhados até um laboratório de Campo Grande, onde não foi constatada a presença de leishmaniose.

Em todo o ano passado, nenhum caso de leishmaniose foi constatado em todo o município de Amambai, fato que deve ser muito comemorado por toda a equipe da Secretaria de Saúde, já que em outros vários municípios, os índices da doença são elevados e até preocupam as autoridades.

Mas todo o cuidado é pouco e é preciso continuar com o trabalho de prevenção, deixando o ambiente limpo, não deixar o lixo exposto, evitar deixar restos de madeira, folhas que podem acumular umidade e favorecer a proliferação do inseto e evitar acúmulo de lixo em terrenos baldios. O vetor (mosquito) fêmea, quando pica o cão os sintomas são de emagrecimento, queda de pelos, vômito, olhos lacrimejando, febre, fezes com sangue, unhas crescendo irregularmente, feridas pelo corpo todo. A doença só é transmitida para o ser humano quando o vetor pica o cão e depois vai até a pessoa causando a doença, onde os sintomas são feridas na pele, visceral que afeta os órgãos internos do fígado, baço e medula óssea.

Não existe o contato de humano-humano. A transmissão da Leishmania se faz pela picada de uma mosca do tipo Lutzomia (mosca da areia – em inglês sandfly). Estes phlebotomus (insetos que chupam sangue) pertencem ao grupo Díptero, ou seja, ao mesmo grupo das moscas, mosquitos, borrachudos e maruins. Apresentam um par de asas e um par de pequenas estruturas, chamadas balancins, responsáveis pela estabilidade do seu voo e do seu zumbido característico.

O prefeito Dirceu Panzarini comemorou mais uma conquista na área da saúde pública e destacou o trabalho realizado por toda a equipe, que através das ações executadas, garantem uma saúde de qualidade para toda a população.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
BRIGA
Por conta de dívida, homem e mulher brigam no meio da rua e arremessam um contra o outro blocos de concretos e garrafas
GERAL
Pedidos de educação indígena aumentaram 500%, afirma Funai
POLÍTICA
Campanha das eleições municipais começa neste domingo