Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020

Lideranças rurais de MS participam das comemorações dos 60 anos da CNA

Lideranças rurais de MS participam das comemorações dos 60 anos da CNA

22 novembro 2011 - 17h05
Divulgação (TP)

Um grupo de 70 lideranças rurais de Mato Grosso do Sul participa nesta semana das comemorações dos 60 anos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e dos 20 anos de criação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). A data será marcada por um seminário reunindo 1,5 mil pessoas entre autoridades federais, parlamentares, lideranças rurais e de outras atividades, embaixadores e ministros, na quarta-feira (23), no espaço Unique Palace, em Brasília.

O seminário vai aprofundar o tema “Os Desafios do Brasil como 5ª Potência Mundial e o Papel do Agronegócio” e será aberto pela presidente da CNA, Kátia Abreu, e pelo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho. O encerramento terá a presença da presidente da República, Dilma Rousseff. Também está prevista a participação do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). De Mato Grosso do Sul, participam presidentes de sindicatos rurais, produtores e representantes de entidades ligadas ao setor.

“O momento será celebrado com a seriedade que o agronegócio tem sido conduzido pela CNA. Vamos comemorar porque o setor tem dado respostas positivas para a sociedade brasileira. Mas vamos fazer isso refletindo sobre a nossa responsabilidade, buscando alternativas para crescer com sustentabilidade”, avaliou o presidente da Famasul, Eduardo Riedel. O dirigente foi eleito como vice-presidente para o segundo mandado da senadora Kátia Abreu frente à CNA e viajou recentemente aos EUA, em comitiva pela Confederação. “Representamos 24,4% do PIB, 37% dos empregos e 37,9% das exportações. E a competitividade da agropecuária tem merecido o respeito de países produtores, como é o caso dos Estados Unidos”, destacou.

O seminário vai abordar temas relevantes para a economia e o agronegócio, entre eles renda rural, a nova política agrícola brasileira e os desafios do País para alcançar a posição de 5ª potência econômica mundial. Entre os palestrantes do seminário estará o economista e ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga. Fraga destaca o papel da CNA como entidade que pensa e formula as questões para o agronegócio e enfatiza o desempenho do setor. “As tecnologias mudam, os mercados mudam. Há 20 anos não se falava em China, há 10 anos ainda se falava pouco no País. E a CNA é importante nesse papel de repensar o setor, já que o Brasil é o grande espaço de crescimento da agropecuária mundial”, disse, enfatizando a atuação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) como referência.

Programação - A programação inclui a divulgação de um estudo inédito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que estrutura “Os perfis das classes de renda rural no Brasil”. A pesquisa, elaborada a pedido da CNA, revela onde está concentrada a renda do campo no Brasil dividida nas classes A/B, C e D/E com um mapeamento por região do País. O estudo, que utiliza dados do último Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), será apresentado pelo professor Mauro Lopes, presidente do Centro de Estudos Agrícolas da FGV.

O secretário-executivo do Ministério da Agricultura, José Carlos Vaz, e o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt participam do painel “Construindo um novo modelo de Política Agrícola” realizado no período da manhã. Vaz e Bittencourt irão apresentar e debater as bases do novo modelo de política agrícola brasileira em discussão entre o Governo federal e a CNA desde 2008. No mesmo painel, a superintendente Técnica da CNA, Rosemeire Cristina dos Santos fará um resgate dos 80 anos da política agrícola no Brasil. Uma das prioridades da gestão da senadora Kátia Abreu a frente da CNA, a reformulação política agrícola brasileira deve trazer maior garantia de renda ao produtor e redução dos riscos da atividade rural.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Rastrear pode auxiliar na redução da taxa de contágio por coronavírus
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul confirma mais 13 óbitos e eleva número de vítimas da Covid para 1.217
ECONOMIA
Projeção do BC para queda do PIB passa de 6,4% para 5%
ORDEM DO DIA
Deputados aprovam dois projetos e sessões seguem remotas em outubro