Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020

Mantega não cogita sair do governo, diz assessoria

15 janeiro 2012 - 09h27Por Estadão
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou no sábado,14, que pretenda deixar o cargo neste início de ano para cuidar de uma questão pessoal, o tratamento de saúde de sua esposa, em São Paulo. A assessoria de imprensa do Ministério informou que Mantega 'não cogitou nem cogita deixar o governo', em resposta a reportagem da revista Época, que trouxe a informação. 'A revista se aproveitou de uma questão estritamente pessoal para fazer ilações.'

Desde o final de 2011, Mantega tem de fato passado mais tempo em São Paulo, onde despacha de um escritório do Ministério. Nos bastidores, já se comentava que a razão disso era a doença da esposa. E circulava, em caráter especulativo, a possibilidade de ele afastar-se por esse motivo.

'Realmente tem a doença, mas não acho que ele vá sair por isso', comentou um ministro. Mantega é hoje um dos ministros mais próximos de Dilma. Na hipótese de sua saída, ele seria substituído por Nelson Barbosa, atualmente secretário executivo da pasta, também homem de confiança da presidente.

A especulação atingiu seu auge na quarta-feira passada, quando Mantega interrompeu suas férias para vir conversar com a presidente Dilma Rousseff durante almoço. Como Barbosa tinha tido uma audiência pouco antes, houve quem concluísse que se tratava da mudança no comando da Fazenda. O que não se confirmou.

A reportagem da Época fala também que Mantega estaria preocupado com a proximidade de Barbosa com Dilma. O secretário, de fato, tem um acesso privilegiado à presidente, comparado a outros que ocupam o mesmo grau de hierarquia. Tendo atuado como um dos conselheiros econômicos na elaboração do programa de campanha de Dilma, Barbosa esteve cotado para vários cargos durante a transição, inclusive o de ministro da Fazenda.

'Não acho que a ciumeira seja tanta assim', comentou um colega. Ele observou que Barbosa esteve com Mantega no Ministério do Planejamento, no BNDES e agora ocupa o que seria o cargo de vice-ministro. Nem o próprio Barbosa alimenta expectativa de tornar-se ministro. 'É mais fácil o inferno congelar do que eu virar ministro', disse ele a um amigo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Rastrear pode auxiliar na redução da taxa de contágio por coronavírus
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul confirma mais 13 óbitos e eleva número de vítimas da Covid para 1.217
ECONOMIA
Projeção do BC para queda do PIB passa de 6,4% para 5%
ORDEM DO DIA
Deputados aprovam dois projetos e sessões seguem remotas em outubro