Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020

Menstruação antes dos doze anos aumenta o risco de obesidade

Menstruação antes dos doze anos aumenta o risco de obesidade

08 dezembro 2011 - 16h30
Divulgação


As meninas que têm a primeira menstruação antes dos 12 anos correm risco aumentado de obesas idade na adolescência, segundo estudo conduzido pela Universidade do Minho, em Portugal.

O estudo liderado pela pesquisadora Raquel Leitão aponta ainda que jovens que menstruam precocemente apresentam níveis de gordura corporal elevados desde os sete anos de idade.

A acadêmica é a autora de " A obesidade da infância para a adolescência: um estudo longitudinal em meio escolar" . A pesquisadora observa que, de fato, " o s resultados reforçam a relação entre a idade na primeira menstruação e a gordura corporal, mas não explicam se a obesidade é a causa ou a consequência da maturação sexual precoce".

O estudo revela que a incidência de obesidade no grupo de meninas que teve a menarca em idade precoce (inferior aos 12 anos) foi de 24,1%, resultado superior ao das adolescentes que tiveram a primeira menstruação numa idade dita " normal" (entre os 12 e 13 anos) e tardia (superior a 13 anos).

A idade média da ocorrência na amostra, constituída por 109 meninas nascidas em 1991, foi de 12,2 anos, valor semelhante à generalidade dos países mediterrânicos.

Estes são dados " preocupantes" , pois revelam que a tendência de adiantamento da maturação sexual nas adolescentes parece persistir.

Em Portugal, a média da idade da menarca diminuiu de 15 anos nas meninas nascidas em 1880 para 12,4 anos na década de 80 do século XX.

Raquel Leitão alerta para os riscos da obesidade e da menstruação precoce sobre a saúde.

" Tendo em conta que a obesidade na adolescência tende a persistir na idade adulta e que existem riscos de saúde associados de forma independente à obesidade, à adiposidade centralizada e à menarca precoce, poder-se-á prever consequências adversas para a saúde destes participantes" , a nutricionista que é docente na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Trajetórias da adiposidade Segundo Raquel Leitão, estas são " evidências claras do quão urgente é necessário prevenir desde cedo o acúmulo excessivo de gordura corporal durante a fase de crescimento" .

A pesquisa teve ainda como objetivo conhecer as trajetórias da adiposidade apresentadas pelas crianças de ambos os sexos durante o período de seis anos avaliado (dos nove aos 15 anos de idade).

Visou também identificar hábitos alimentares, padrões de atividade física e características psicossociais que diferenciem os adolescentes com diferentes trajetórias de adiposidade.

" O que se pretendia era identificar as crianças que desenvolveram obesidade, as que mantiveram esta patologia e ainda as que a reverteram" , explica Raquel Leitão

Os resultados apontam para o fato de os rapazes terem mais facilidade em reverter a obesidade. As meninas mostraram maior vulnerabilidade ao desenvolvimento da patologia e uma grande dificuldade em voltar a um peso normal.(Isaude.net)


--------------------------------------------------------------------------------

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Secretário-geral da ONU pede acordo global contra desigualdades
ECONOMIA
CNI: atividade industrial segue em recuperação com alta do emprego
MS
Governo do Estado convoca escrivães aprovados no concurso da Polícia Civil para ocupar vagas remanescentes
CRIME AMBIENTAL
Engenheiro é autuado em R$ 50 mil por degradação de área protegida de mata ciliar do rio Salobra, o qual é protegido com proibição de pesca