Menu
Busca sábado, 16 de janeiro de 2021

Segundo chanceler, decisão faz parte das celebrações do fim do calendário maia

01 agosto 2012 - 17h30
Opera Mundi

ERRATA: A ABI (Agência Boliviana de Informação) divulgou uma nota nesta quarta-feira (01/07) esclarecendo que o ministro das Relações Exteriores David Choquehuanca é um estudioso da cosmologia andina e que mencionou a possibilidade de desaparecimento da Coca-Cola do território boliviano apenas para exemplificar alguns dos possíveis efeitos do fim do calendário maia. Não há, portanto, em sua fala, qualquer tom institucional que formalize uma decisão da Presidência pela expulsão da Coca-Cola do país.

Como resultado da oposição de Evo Morales ao que seu governo chama de imposições gastronômicas norte-americanas, McDonald’s e Coca-Cola encerrarão todas as suas atividades na Bolívia até o final deste ano.

Se, de um lado, a rede de fast foods McDonald’s anunciou sua falência após “14 anos de tentativas infrutíferas de se instalar na cultura local”, de outro, a Coca-Cola foi formalmente expulsa do território e terá até o próximo dia 21 de dezembro para encerrar totalmente sua operação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR 158
PMA autua empresa mato-grossense por derramamento de cerca de 22 mil litros de combustível
ECONOMIA
China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
RIO BRILHANTE
Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas que faziam parte organização criminosa
NOTÍCIAS
Negada indenização a comprador de veículo que não comprovou defeito em motor