Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021

Negociação salarial de enfermeiros vai ser resolvida em dissídio

Representantes de clínicas e hospitais permanecem irredutíveis em negociação salarial

21 junho 2012 - 10h48Por Douranews
Os trabalhadores da área de enfermagem, funcionários de hospitais e clínicas de Dourados, terão que aguardar agora pelo dissídio coletivo [ação ajuizada no Tribunal Regional do Trabalho visando solucionar conflitos entre as partes] para saber se terão, ou não, a reposição salarial reivindicada em várias rodadas de negociações com o setor patronal.

Os profissionais da área reivindicam 15% de reajuste sobre o salário base, mais 40% de insalubridade sobre o salário mínimo e abono de assiduidade da ordem de 5% sobre o mínimo, entre outras clausulas das questões sociais previstas na Convenção Coletiva de Trabalho. Os empregadores chegaram à contraproposta máxima de 7,22%, porém sobre a hora trabalhada.

“Isso é indecente”, reagiu a sindicalista Maria Francisca, que conduziu as negociações da base de Dourados com os representantes das entidades empregadoras. Segundo ela, “quando for aprovada a proposta de redução da jornada de trabalho [atualmente em tramitação no Congresso Nacional], esse reajuste proposto pelos hospitais vai se transformar em R$ 42 de aumento de salário no mês”.

De acordo com a representante sindical dos trabalhadores em Dourados, os enfermeiros reivindicam ainda uma folga de 6 horas a cada plantão de 12 horas trabalhado, vale-alimentação de R$ 300 e acomodação hospitalar adequada no ambiente de trabalho. Outra reivindicação é a promoção funcional, de auxiliar técnico a técnico e destes para técnico de enfermagem.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
Em liberdade e monitorada: onça resgatada em incêndio do Pantanal é devolvida à natureza
GERAL
Governo cria Cadastro Nacional das Organizações Religiosas
SAÚDE
Mais de 30 mortes por coronavírus são registradas em apenas um dia no Estado
PONTA PORÃ
Após receber denúncia de violência doméstica, Polícia Militar prende dupla por porte ilegal de arma