Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020

Sul-mato-grossense vence o maior festival de dança do mundo

06 agosto 2011 - 12h00Por Assessoria
O campo-grandense Julio Cesar Floriano, 23 anos, venceu no solo masculino na categoria avançada no 29º Festival de Dança de Joinville (SC), a principal competição desse tipo no Brasil e uma das mais importantes do mundo.

Floriano conheceu a dança em 2004 e em 2005 entrou para o Projeto Dançar, do Grupo Ginga, referência em Mato Grosso do Sul. No ano seguinte entrou para o grupo titular, pelo destaque apesar da pouca experiência.

Desde 2007 ele faz parte da Companhia do Mato e foi representando esse grupo que venceu o festival que aconteceu entre os dias 20 e 30 de julho, com a dança contemporânea.

Para participar do festival,considerado o maior do mundo desde 2005, o dançarino enviou um vídeo que passou por análise e foi selecionado. Apesar de ser a primeira participação no festival, Floriano venceu dois competidores do Rio Grande do Sul, um do Paraná e outro de São Paulo. Para o bailarino, ganhar foi muito importante para a carreira. “Dançar nesse palco significa você apresentar o seu trabalho a vários artistas da dança. É uma vitrine”, diz.

Quatro pessoas da companhia foram para o festival. Ao todo, eles gastaram R$ 10 mil, R$ 2.500 por pessoa. Valor muito alto para quem não tem apoio financeiro. Para o dançarino, falta investimento. “Os artistas encontram dificuldade para representar o estado em festivais, porque o valor gasto é alto e não há apoio financeiro de patrocinadores”, reforça.

Ao vencer a competição em julho, Floriano se classificou para uma extensão do festival que acontecerá em outubro, em Paulinia, São Paulo. Essa competição é o Grand Pix que garante vaga em competições internacionais. Os primeiros colocados ganham todas as despesas do próximo Festival de Joinville e, os melhores bailarinos, coreógrafos e professores têm a oportunidade de ganhar intercâmbios e bolsas em companhias de dança internacionais.

Para participar dessa competição, Floriano, gastará em média, R$ 2 mil nos sete dias de apresentação. Para se manter, o dançarino dá aulas de pilates em uma academia.

Aguentar a rotina de treinamentos não é fácil, por dia, são de quatro a cinco horas de treinamento específico. Ele ainda dá aulas de dança e de pilates.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Com queda na taxa de contágio, MS tem 533 casos novos de coronavírus
JUSTIÇA
Loja e administradora de cartão são condenadas por cobranças de tarifas indevidas
LIBERTADORES
Santos enfrenta Olímpia no Paraguai
SEGURANÇA PÚBLICA
Governo adquire unidade móvel e vai garantir RG para população que vive em locais remotos