Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
CANONIZAÇÃO

Irmã Dulce será canonizada neste domingo em cerimônia no Vaticano

12 outubro 2019 - 14h00Por A Tribuna

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, mais conhecida como Irmã Dulce, será a primeira santa brasileira canonizada. A cerimônia ocorrerá neste domingo, dia 13 de outubro e será presidida pelo papa Francisco, no Vaticano. Na região, a data será lembrada nas missas deste dia, e fiéis prestarão homenagens.

Dulce se tornará a primeira santa brasileira nata, pois Madre Paulina, apesar de ter feito história no Brasil, nasceu na Itália.

O primeiro milagre atribuído à baiana Irmã Dulce data de 2001. Foi quando uma mulher desenganada pelos médicos após uma hemorragia pós-parto se recuperou, mesmo com três cirurgias frustradas, após um padre pedir a intercessão dela.

Em 2010, quando um maestro voltou a enxergar após pedir a ela, a igreja teve o que faltava para a baiana ser beatificada, o que se deu um ano depois.

Depois da beatificação, a Assessoria de Memória e Cultura das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) informou ter recebido milhares de casos de pessoas que relataram ter obtido graças por meio do anjo bom da Bahia.

Na Baixada Santista

O bispo diocesano de Santos, dom Tarcísio Scaramussa, conta que toda canonização é uma honra para a Igreja Católica, mas a alegria é maior pelo reconhecimento da santidade de uma brasileira.

“Naturalmente, quando há a canonização de alguma pessoa mais próxima, há um significado maior para nós, porque é alguém do nosso meio. Alguém com a vida dedicada aos pobres”, declara.

Na Baixada Santista, não se prevê nenhuma igreja com o nome de Dulce, mas, na segunda-feira, às 19h30, será inaugurada a primeira capela da Diocese em homenagem a ela. Ficará na Fraternidade O Caminho, em São Vicente, vinculada à Paróquia São Vicente Mártir, na Rua Ipiranga, 5, no Centro.

O espaço é uma casa de acolhimento a mulheres em situação de rua, explica o bispo. “É um ato num espaço pequeno, mas simbólico”, afirma.

Famílias

Devotos também devem homenagear Irmã Dulce, como a família de Emerson Avelino Pereira, de 39 anos. O nome da filha do analista de sistemas é Dulce Maria Gonzalez Pereira A menina, de 4 meses, será batizada no dia da canonização.

Segundo os pais, a data foi escolhida em homenagem a Irmã Dulce, apesar de o nome da criança ter vindo de uma oração que chama de “doce Maria” a mãe de Jesus Cristo.

“Mas como esse será um dia muito esperado para nós, escolhemos o domingo por sentirmos no nosso coração o quanto é especial. Nossa filha vai ser batizada no dia em que a primeira santa 100% brasileira será canonizada. Para nós, isso representa um elo da igreja na terra e no céu”, diz o pai.

A igreja onde ocorrerá o batismo, a Paróquia do Imaculado Coração de Maria (Avenida Ana Costa, 74, na Vila Mathias, em Santos), vai transmitir em tempo real a cerimônia de canonização.

Efeito político

Senadores deverão ir ao Vaticano ver a canonização de Irmã Dulce. Isso deve atrasar o segundo turno de votação, na Casa, da reforma da Previdência, afirma o líder do PSL no Senado, Major Olímpio. Deputados também vão, mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), diz que os trabalhos não atrasarão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RIOS
PMA autua mais um exibicionista em R$ 2,9 mil por postar foto com dourado, peixe com pesca proibida
INTERNACIONAL
Secretário-geral da OEA diz que Evo Morales deu um autogolpe
GESTÃO
Secretaria de Administração vai leiloar 44 lotes de caminhões e maquinários agrícolas
POLÍCIA
Criminalidade em Mato Grosso do Sul e na Capital apresenta queda em 2019