Menu
Busca quarta, 20 de janeiro de 2021

Nova cirurgia gástrica reversível reduz volume do estômago em 70%

14 setembro 2012 - 10h20Por Fonte: Isaude
Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nova cirurgia gástrica que não altera de forma permanente a anatomia do estômago de pacientes obesos.

A técnica minimamente invasiva, que não necessita do implante de dispositivos e faixas é uma alternativa para pacientes que estão mais de 30 quilos acima do peso normal. Ao dobrar o estômago, ela reduz o volume do órgão em 70%. Os pacientes podem perder até 2 quilos por semana após o procedimento.

Segundo o líder do trabalho, Santiago Horgan, a Plicatura gástrica pode ser comparada à arte do origami. A técnica é potencialmente reversível e é realizada por laparoscopia.

Durante o procedimento de uma hora, de uma a cinco pequenas incisões são feitas no abdômen para atingir o estômago e realizar as dobras. Dependendo do tamanho do estômago do paciente, uma ou duas pregas são criadas com suturas não absorvíveis.

"Após a cirurgia, com um tamanho menor do estômago, o paciente se sente satisfeito mais rapidamente e apresenta uma diminuição real do apetite. Se, por alguma razão, nós precisarmos voltar o estômago ao seu tamanho original, isso é possível. Além disso, como a anatomia do paciente não é redirecionada, o paciente não tem restrições alimentares graves", explica Horgan.

Além de perda de peso, muitos pacientes veem um benefício associado na redução da pressão arterial, diabetes e medicamentos de depressão. Estes resultados em longo prazo são um produto de uma combinação de saudável, cirurgia e exercício físico.

A Plicatura gástrica necessita de um período curto de hospitalização entre um ou dois dias, com um retorno às atividades normais em uma semana.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Governo autoriza cessão da Gruta do Lago Azul ao município de Bonito
BONITO
Polícia Militar apreende mais de 390 quilos de maconha
INTERNACIONAL
Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos
MS
Defesa Civil alerta: Com previsão de mais chuvas, população precisa ficar atenta