Menu
Busca sábado, 05 de dezembro de 2020

André atua para emplacar aliados nos quatro maiores colégios eleitorais de MS

24 setembro 2011 - 08h50
André atua para emplacar aliados nos quatro maiores colégios eleitorais de MS

Conjuntura Online

Embora negue, o governador André Puccinelli (PMDB) atua nos bastidores para, senão interferir diretamente, ter voz ativa no processo sucessório dos quatro maiores colégios eleitorais de MS em 2012 – Campo Grande, Dourados, Corumbá e Três Lagoas.


A atuação firme de Puccinelli nesses colégios eleitorais teria como pano de fundo as eleições de 2014 ao Senado, quando o governador deverá se lançar candidato e precisará de fortes cabos eleitorais nesses quatro municípios, para arrebanhar votos o suficiente para “carimbar seu passaporte” rumo a Brasília.


A atuação do governador nos bastidores políticos das quatro cidades tem sido visível a cada dia que passa. A sua última grande intervenção ocorreu nesta quinta-feira (22), quando ele se reuniu a portas fechadas na Governadoria com o vereador e presidente da Câmara de Corumbá, Evander Vandramini Duran (PP), provável candidato do grupo do PMDB para a disputa da prefeitura daquela cidade.


A reunião do governador com Duran ocorreu um dia depois de o deputado Paulo Duarte (PT) confirmar sua disposição de disputar a sucessão do prefeito Ruiter Cunha, seu correligionário petista em Corumbá e que completa, no final de 2012, oito anos no comando do município.


Além de Corumbá e Campo Grande - onde a intervenção de Puccinelli no processo sucessório de 2012 se dará de forma mais ativa e intensa -, o governador também atuará de forma efetiva na sucessão municipal de Três Lagoas e Dourados.


Na primeira cidade, o governador considera que é questão de honra trabalhar para a reeleição da prefeita Márcia Moura (PMDB), que cumpre desde abril de 2010 mandato tampão em lugar da vice-governadora Simone Tebet (PMDB), que deixou o executivo local para assumir a atual função ao lado de Puccinelli na Governadoria.


Além de aliado de primeira hora do pai de Simone, Ramez Tebet (já falecido), quando este integrou a cúpula do PMDB em MS, Puccinelli enxerga na figura de sua vice um enorme potencial para a sua sucessão em 2014, além de também elencá-la como um dos nomes de sua preferência para eventualmente disputar, pelo seu grupo, a prefeitura de Campo Grande no próximo ano.


Sucessão de Zauith


Já em Dourados, segundo maior colégio eleitoral do Estado, Puccinelli vislumbra atuar de forma ativa para fazer o sucessor do prefeito Murilo Zauith, que recentemente trocou o DEM, da base do governador, pelo oposicionista PSB.


A ideia de Puccinelli é alçar, finalmente, ao comando da cidade, um nome peemedebista, já que nos últimos anos o partido atuou apenas como coadjuvante de legendas aliadas em administrações do município.


Já se apresentam como pré-candidatos do PMDB em Dourados, os deputados federais Geraldo Resende e Marçal Filho, e a vereadora Délia Razuk.


Em Dourados, aliás, o governador, além de finalmente querer emplacar um peemedebista no comando da cidade, pretende anular o poderío político do meio-aliado Zauith, como forma de supostamente dar o “troco” à debandada do prefeito do núcleo de seu grupo político.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Ministro debate com entidades retorno das aulas presenciais
MAUS TRATOS
Estudante de 26 anos é autuada por maus tratos ao deixar cachorro sem água, sem alimentação e doente
ECONOMIA
Captação da poupança cai pela primeira vez desde janeiro
CAMPO GRANDE
Polícia Civil recupera celular produto de apropriação de coisa achada