Menu
Busca terça, 11 de agosto de 2020

BC baixa de 4% para 3,5% previsão de crescimento do PIB neste ano

29 setembro 2011 - 14h10
BC baixa de 4% para 3,5% previsão de crescimento do PIB neste ano

G1

O Banco Central informou nesta quinta-feira (29), por meio do relatório de inflação do terceiro trimestre, que a sua previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano recuou de 4% para 3,5%. Essa é a segunda redução da estimativa do BC para o crescimento de 2011 - que estava em 4,5% no fim do ano passado. A instituição não forneceu, até o momento, sua expectativa para o PIB de 2012.

Com isso, a estimativa do BC para o crescimento deste ano segue abaixo da previsão do Ministério da Fazenda, que é de 4,5% de crescimento. A previsão da autoridade monetária, porém, está em linha com o que acredita o mercado financeiro, que estima uma expansão de 3,5% para a economia em 2011.

"Essa revisão reflete ações de política implementadas desde o final do ano passado e, principalmente, a deterioração do cenário internacional, que tem levado a reduções generalizadas e de grande magnitude nas projeções de crescimento para os principais blocos econômicos", informou o BC.

Segundo a autoridade monetária, a evolução do PIB no segundo trimestre do ano foi sustentada pela demanda doméstica e ratificou a perspectiva de "moderação da atividade". "O reduzido crescimento da produção industrial registrado no início do terceiro trimestre sugere que esse processo terá continuidade. Ressalte-se, além disso, a piora nos indicadores de confiança, na margem, e a elevação recente dos níveis de estoques industriais", avaliou a instituição.

Setores
Segundo as previsões do Banco Central, o setor agropecuário deverá crescer 2,1% neste ano, 0,2 ponto percentual acima da estimativa anterior (1,9%).

Para o setor industrial, a estimativa de crescimento do BC, para este ano, recuou de 4,2% para 2,3% - uma queda de 1,9 ponto percentual. Esta queda, segundo a autoridade monetária, decorre de revisões para baixo em todos os subsetores da indústria, em linha com os respectivos desempenhos registrados no segundo e no início do terceiro trimestre do ano.

Para a indústria extrativa mineral, informou o Banco Central, a previsão de crescimento para 2011 passou de 5,6% para 3,2%. No caso da indústria de transformação, recuou de 3,6% para 1,5% e, para a construção civil, de 5,2% para 3,4%.

Já a estimativa do BC para o crescimento do setor de serviços também recuou, passando de 3,8% (no relatório de inflação de junho) para 3,5% de crescimento.

Do lado da demanda, a projeção do BC considera um crescimento de 4,5% neste ano, contra a estimativa anterior de 4,1%, cenário, segundo a instituição, "consistente com a evolução favorável do mercado de trabalho no primeiro semestre". Também subiu a projeção de crescimento para o consumo de governo, de 1,9% para 2,1%.

"A estimativa para o crescimento da Formação Bruta de Capital Fixo (investimentos) foi reduzida de 6,4% para 5,6%, alteração associada aos recuos nas projeções de crescimento da construção civil, da indústria de transformação e das importações de bens de capital", informou a autoridade monetária.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Governo divulga resultado preliminar de processo seletivo para área da saúde
GERAL
Anvisa quer reforçar medidas contra covid-19 em aeroportos e aeronaves
ANTÔNIO JOÃO
Polícia Civil prende foragido da justiça procurado pela prática de falsidade ideológica
CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental de Miranda autua infrator por derrubada de árvore para exploração de madeira