Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020

Goldoni se coloca a disposição do PDT como candidato a prefeito

27 setembro 2011 - 09h25Por Fonte: Matéria
PDT realizou importante reunião no final de semana em Ponta Porã

O ex-prefeito e ex deputado Estadual e Federal Oscar Goldoni foi entrevistado pelo jornalista Tião Prado na rádio 91.5 FM Cerro Corá e site Conesulnews, onde falou sobre vários assuntos, dentre os quais a sucessão municipal.

Goldoni disse que não adianta a pessoa sair candidata se o povo não aceita, é o povo que escolhe, sendo necessário algo mais que carisma, alem de bom trabalho e bom trânsito, sendo esses os requisitos que o partido PDT procura.
Na entrevista, o empresário disse que fez duas coisas erradas na vida política, sendo que uma foi ter deixado a prefeitura para ser candidato a deputado federal, acreditando que faria o melhor, acreditando em seu vice, perdendo a eleição e pagando caro por essa decisão.” Hoje tenho que me justificar com as pessoas e digo continue acreditando, nós temos uma missão nessa vida e quem sabe um dia ainda serei novamente prefeito de Ponta Porã”, frisou Goldoni.

“ A segunda coisa que paguei muito caro foi ter saído do PDT. Fiz 34 mil votos, o povo acreditou em mim, mas estava no PMDB; se tivesse me mantido no PDT com apenas 15 mil votos estava eleito”, desabafou Oscar Goldoni.
Falando sobre o partido após a saída de filiados, Oscar falou que hoje o PDT está com 1500 filiados na ativa na cidade pregando em especial a filosofia de Brizola que é proibir receber sem fazer nada e que logo o partido irá fazer requerimentos pedindo o afastamento de alguns membros.

Em relação a disputa nas eleições para prefeitura, o entrevistado afirmou que um partido sempre tem que ter o seu candidato, citando o próprio nome como também do Fábio Moresco, Ivo Cherin e outros, mas questionou sobre o povo querer ou não esses nomes, por isso o partido está aberto para fazer coligações, ser vice de alguma outra chapa ou até mesmo ser cabo eleitoral.

“ Uma das coisas que as pessoas tem que ver é que o candidato tem que ser trabalhador. Podem falar o que quiser de mim, mas sou trabalhador; então o PDT está aberto, pois o que está aí está bom, mas queremos fazer mais, nossa cidade merece sempre mais”, destacou o empresário.

Goldoni lembrou que na eleição passada iria sair candidato a prefeito pelo PDT mas estranhamente, o Ary Rigo veio e praticamente tomou o partido de suas mãos. “Alguns filósofos em política dizem, e eu não concordo, que para ser um grande político tem-se que ser um grande traidor, e não acredito nisso. Temos que observar as pessoas pelas suas atitudes e não pelo dinheiro que tem ou cargo que exerce”, falou Goldoni.

Questionado sobre a notícia de que havia falado que o pré-candidato não tinha dado certo com o Kayatt, nem com o Piantoni, nem com ele mesmo e se daria certo com a vereadora Lourdes Monteiro nessa dobradinha que vem sendo cogitada e Goldoni disse que não dará certo, pois não existe em um ano antes da eleição, uma pessoa que já teve várias mudanças, dizer que tal pessoa será vice de sua chapa, alertando que não se pode esquecer das outras lideranças, afirmando que isso demonstra desespero político ou uma grande armação. “ Não dou 30, 40 dias, não existe mais esse casamento e se eles emplacarem a candidatura peço desculpas publicamente”, finalizou Oscar Goldoni.

Na noite de sexta-feria (23), no plenário da Câmara de Ponta Porã o PDT realizou uma importante reunião onde contou com um grande numero de filiados, simpatizantes e amigos pessoal de Oscar Goldoni. “Foi uma grande festa democrática”, segundo o ex-deputado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INPE
Incêndios na Amazônia aumentaram 28% em julho em comparação ao ano passado
FORMULA 1
Hamilton vence GP da Inglaterra após ter pneu furado na última volta
CORONEL SAPUCAIA
Mulher morre queimada após casa pegar fogo em aldeia indígena
GERAL
Governo equipa todas microrregiões de MS com estrutura de UTI’s-Covid