Menu
Busca sábado, 28 de novembro de 2020

Marçal mantém luta contra o tabagismo

Marçal mantém luta contra o tabagismo

23 novembro 2011 - 15h50
Divulgação

Levantamentos realizados pela Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) causada, em sua maioria, pelo tabagismo, tem levado a morte cerca de 40 mil brasileiros, por ano. A doença causa problemas respiratórios graves que afetam diretamente a qualidade de vida dos pacientes. Em estágios mais avançados, a doença limita hábitos rotineiros como subir escadas, tomar banho e até falar, além de levar os pacientes a internações frequentes ocasionadas pelas crises de tosse, produção de catarro e falta de ar.

Foi pensando nisso que o deputado federal Marçal Filho, que preside a Frente Parlamentar de Controle ao Tabaco apresentou indicação sugerindo a inclusão do medicamento que libera a Dopamina no organismo, dando a sensação de prazer eliminando a vontade de fumar, na lista de produtos da Farmácia Popular, que ainda está em tramitação na Câmara Federal.

Outro argumento usado pelo deputado, para fazer a indicação foi a sobrecarrega dos hospitais conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS), de todo o país, levando em conta que o tabaco é responsável direto por quase 50 doenças diferentes. “É uma questão muito séria, porque provoca prejuízo anual de mais de R$ 358 milhões ao SUS com internações e tratamentos de quimioterapia e radioterapia, mas essa realidade tende a mudar porque aos poucos a legislação está beneficiando o não fumante e aqueles que desejam abandonar o vício”, salientou o parlamentar.

Marçal explica que cada vez mais as doenças crônicas não transmissíveis, como a DPOC, o câncer, o diabetes e a hipertensão, tem se tornado foco de programas de saúde que visam barrar sua progressão. “Essa iniciativa é primordial, visto que as doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) são a causa de 72% dos óbitos não violentos entre brasileiros com menos de 70 anos. Elas matam, anualmente, cerca de 36 milhões de pessoas no mundo, além de exercerem pressão econômica, nos sistemas público e privado de saúde”, ressaltou o parlamentar.

O deputado salienta que da frente parlamentar pretende estimular a participação da sociedade nas discussões sobre o tabaco e apresentar propostas para modificar a legislação relacionada ao tema. Uma delas é a distribuição do medicamento que ajuda os dependentes a pararem de fumar. “Pesquisas já comprovam a eficácia de medicamentos, no combate a dependência do cigarro, mas que tem custo muito elevado, o que dificulta o acesso ao tratamento, principalmente de pessoas de baixa renda”, disse o parlamentar ressaltando que durante muitos anos o tabagismo foi visto como um estilo de vida, mas que hoje é reconhecido pela ciência como uma doença causada pela dependência de uma droga: a nicotina.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
PMA de Jardim e Bonito fiscalizam o rio Miranda e da Prata e apreendem petrechos ilegais à pesca
BOLETIM COVID
Capital registra 1.178 novos casos nas últimas 24 horas
CULTURA
Blues e Rock embalam as lives do Som da Concha deste fim de semana
BOLSA FAMÍLIA
Beneficiários do programa receberão em poupança digital