Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
MS

Censo aponta que 61% das propriedades rurais são da agricultura familiar

04 novembro 2019 - 09h00Por Dourados News

O Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica) apontou que Mato Grosso do Sul possui 71.164 mil propriedades economicamente ativas em Mato Grosso do Sul. Desse total, 43.223 são de famílias que integram a agricultura familiar no Estado, o que representa 61%.

No comparativo com o último censo realizado em 2006, houve aumento de 2.969 estabelecimentos que atenderam aos critérios da Lei 11326/2017 e foram classificados como agricultura familiar no Estado. Os dados vão na contramão do cenário nacional que aponta uma redução de 9,5% no número de estabelecimentos classificados como agricultura familiar.

O fortalecimento do setor se deve a assistência dada pelo Governo do Estado aos pequenos produtores, pois as áreas com produção familiar nos municípios do Estado, tem o suporte e acompanhamento da Agencia de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer). Desde 2015, foram investidos R$ 36,1 milhões em equipamentos agrícolas, e já foram entregues 1.380 maquinários que profissionalizam o trabalho no campo.

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck avalia de forma positiva os dados apontados pelo Censo Agro 2017, e afirma que serão realizadas diversas ações com base nas informações apuradas pelo estudo. “Os dados levantados pelo IBGE são de suma importância para o planejamento governamental das políticas de desenvolvimento da agropecuária para as próximas décadas”, afirma.

Principal atividade

O censo 2017 apontou ainda, que a principal atividade econômica dos estabelecimentos da agricultura familiar é a criação de bovinos com 26.473 estabelecimentos e uma área de 904.375 ha, seguida pelo cultivo de soja com 3.037 estabelecimentos e 105.877 ha.

O cenário de distribuição dos grupos de atividade econômica da agricultura familiar identificados pelo Censo no Estado, são: produção de lavouras temporárias ou permanentes, horticultura e floricultura, produção de sementes e mudas certificadas, pecuária e criação de outros animais, pesca, aquicultura, produção florestal com florestas plantadas e florestas nativas.

Agraer

Dentro desse contexto a Agraer atua no desenvolvimento de políticas e na coordenação das atividades de assistência técnica, extensão rural, pesquisa e outros serviços ligados ao desenvolvimento e ao aprimoramento, da agricultura e pecuária, destinadas aos produtores rurais, com prioridade para os agricultores familiares, agricultores tradicionais, assentados, indígenas, quilombolas, pescadores e aqüicultores.

“A Agraer está trabalhando principalmente com a questão do crédito rural, a questão do acesso a mercado, também a parte de regularização, titulação dessas áreas, que o Governo do Estado coloca como prioridade. Porque possibilita o produtor seguir a sua vida. Com o título da terra, ele também tem acesso a outras políticas”, explica o Gerente de Desenvolvimento Agrário, Araquém Midon.

Agricultura Familiar

De acordo com a Lei 11.326, para ser classificado como agricultura familiar o estabelecimento deve ser de pequeno porte (até 4 módulos fiscais); ter metade da força de trabalho familiar; atividade agrícola no estabelecimento deve compor, no mínimo, metade da renda familiar; e ter gestão estritamente familiar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Audiências sobre impeachment de Trump têm início nos Estados Unidos
BRASIL
Líderes do Brics anunciam acordos para fortalecer bloco
SAÚDE PÚBLICA
Brasil lança primeira campanha para prevenir obesidade infantil
MATO GROSSO DO SUL
Publicada lei que anistia pequenas dívidas de ICMS e derruba imposto para casas populares